Jundiaí

Após reavaliação, Jundiaí segue na fase vermelha

Pela segunda semana consecutiva, Jundiaí permanece na fase vermelha do Plano São Paulo, assim como os demais 41 municípios inseridos no Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS IV). O município regrediu da fase laranja para a vermelha há 12 dias, quando o governo do estado de São Paulo realizou a sexta reavaliação do panorama estadual. Desde a regressão, apenas os serviços considerados essenciais estão liberados para o funcionamento, como farmácias, hipermercados, padarias, conveniências sem consumo local, oficinas mecânicas, lojas de materiais de construção, atividades logísticas, entre outros serviços que podem ser conferidos na Imprensa Oficial, disponibilizada no site da Prefeitura de Jundiaí. Jundiaí e as demais cidades que compõem o Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) aguardam o retorno do governo a respeito do pedido de desmembramento da região do DRS de Campinas. Em vídeo oficial veiculado nas redes sociais oficiais da Prefeitura de Jundiaí, o prefeito Luiz Fernando Machado reforçou a expectativa pelo retorno da proposta. “Continuamos lutando para que a região de Jundiaí seja reavaliada de acordo com os seus próprios indicadores de saúde para o controle da pandemia. Levando isso em conta, hoje poderíamos estar na fase laranja, mas por hora, seguimos conforme decreto do Estado, na fase vermelha, como todo o Departamento Regional de Saúde de Campinas”, alega. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), Edison Maltoni, lamenta a impossibilidade do avanço das atividades comerciais. “Infelizmente essa situação irá piorar o cenário para os empresários da cidade que estão sendo prejudicados há meses com as restrições de funcionamento que afetam diretamente seus negócios e podem ter consequências desastrosas para a economia da cidade e mercado de trabalho”, reitera Maltoni. [caption id="attachment_90102" align="aligncenter" width="800"] Pelos próximos sete dias, somente serviços essenciais poderão funcionar[/caption]

DESMEMBRAMENTO

A Prefeitura de Jundiaí, por meio do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), informa que a solicitação permanece em análise e sendo acompanhada pessoalmente pelo prefeito Luiz Fernando Machado. O Comitê de Contingência do Coronavírus do governo do estado de São Paulo adiou, para a próxima semana, a deliberação sobre o desmembramento do AUJ. Questionada, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo afirma que a solicitação feita pela Prefeitura de Jundiaí sobre o desmembramento está sendo avaliada pelo Centro de Contingência de Coronavírus de SP, assim como ocorre com toda e qualquer medida solicitada. Além disso, o órgão ressalta que, para o governo, todas as iniciativas são respaldadas por critérios técnicos, análises e pareceres de especialistas, visando priorizar as questões de saúde, frente ao cenário pandêmico. Relembrando que os critérios levados em conta para a flexibilização são a ocupação de leitos de UTI, o total de leitos disponíveis a cada 100 mil habitantes, a variação de novas internações nos últimos sete dias, bem como a quantidade de casos confirmados e mortes no período. Até a última atualização do Boletim Epidemiológico de Jundiaí, a cidade apresentava 72% de ocupação dos leitos de UTI voltados exclusivamente para pacientes com covid-19. Nos últimos sete dias foram confirmados 475 novos casos de coronavírus, sendo 22 mortes. [caption id="attachment_95782" align="aligncenter" width="800"] Ocupação dos leitos de UTI é um dos critérios avaliados para a flexibilização[/caption]

PANORAMA

Ainda que a atualização seja programada para ser realizada oficialmente no dia 24 de julho, nos casos em que alguma região apresenta a necessidade de regressão, o anúncio é feito mesmo antes do prazo. Na atualização da tarde desta sexta-feira (17), apenas a região de Piracicaba teve que retornar para a fase vermelha.

Notícias relevantes: