Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Apreensões de linhas chilena e com cerol chegam a 40 nesta pandemia

Nathália Sousa | 23/06/2020 | 09:00

Em um período de três meses, tempo do início da pandemia do coronavírus e, consequentemente, de isolamento social, a Guarda Municipal de Jundiaí já fez 40 apreensões de carretéis com linhas chilena e com cerol. Além de Jundiaí, outras apreensões são feitas na região, principalmente em bairros periféricos.

Os dados mostram que as pessoas não estão se importando com o perigo das linhas cortantes que acabam, em alguns casos, sendo fatais. Por muito pouco o filho de Ivanilde da Silva Anjo, Gabriel, não entra para a estatística. A moradora do Parque Almerinda Chaves relata que o filho saiu no final de semana para brincar e teve o pescoço cortado com uma linha de pipa com cerol.

A linha estava pendurada num fio de energia. “Como estava um pouco escuro, ele não viu a linha que encostou no pescoço dele. Ainda bem que ele conseguiu tirar antes de cortar mais. Um amiguinho dele cortou bastante o dedo com uma linha brincando também, mas não estava soltando pipa. Não estou nem deixando meu filho sair na rua”, revela Ivanilde sobre o perigo do material.

Apesar de não terem informado sobre os índices do mesmo período do ano passado, as apreensões da GM neste ano indicam que possa haver mais ocorrências. Ivanilde só pede que as pessoas tenham mais cuidado. “A molecada está usando muito cerol por aqui, criança pequena não usa. Acredito que tenha aumentado a quantidade de pessoas soltando pipa e infelizmente ainda tem lugar que vende o cerol. Soltam pipa atrás da Cesp (Cia Energética de São Paulo), onde tem um terrenão. Domingo retrasado eles fizeram festival de pipas lá”, conta ela.

CRIME

Quando uma pessoa maior de 12 anos é flagrada portando linha com cerol ou linha chilena, é possível registrar a ocorrência como ato infracional. Após os 18 anos, o uso do material configura crime de periclitação da vida, ou seja, que pode lesar uma pessoa, conforme previsto no artigo 132 do Código Penal.

Segundo a GM é comum as pessoas soltarem as pipas quando percebem a presença dos guardas, mesmo assim as fiscalizações são feitas, inclusive campanhas de conscientizações para orientar crianças sobre os riscos das linhas cortantes.

O cerol é fabricado com uma mistura que pode ser feita com cola e pó de vidro ou pó de ferro, a linha chilena é feita industrialmente com pó de quartzo e óxido de alumínio e tem poder de corte que chega a ser quatro vezes maior que a linha original.


Leia mais sobre | | | |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/apreensoes-de-linhas-chilena-e-com-cerol-chegam-a-40-nesta-pandemia/
Desenvolvido por CIJUN