Jundiaí

Atendimento do Serviço de Verificação de Óbito cresce 5,6%


Sediada em Jundiaí, mas oferecendo atendimento para outras oito cidades da Região, o Serviço de Atendimento de Óbito de Jundiaí (SVO) registrou um aumento de 5,6% entre 2017 e 2018. Segundo a Unidade de Gestão de Promoção de Saúde (UGPS), por meio do departamento de Vigilância em Saúde, foram atendidos 1.253 casos em 2017 contra 1328 em 2018. O Serviço de Verificação de Óbitos é especializado na investigação de causas de óbitos naturais mal definidos. Diferente dos Institutos Médicos Legais (IML), que investigam óbitos por causas externas a pedido de autoridade policial, o SVO esclarece óbitos por causas naturais mal definidas por requisição médica, após consentimento de familiares. Os casos com maior incidência são referentes a doenças cardíacas, doenças do aparelho respiratório e neoplasias (câncer), além de algumas ocorrências de menor quantidade, como citou o órgão público. A realização de uma necropsia, por exemplo, depois que o corpo chega à unidade, dura em média 2 horas, e as solicitações são feitas por hospitais, nos casos em que não se determina a causa morte, ou da autoridade policial, quando há casos de morte em residência sem assistência médica. Em alguns casos, para o esclarecimento da causa morte, são necessários exames complementares, enviados a laboratório e que podem demorar de 30 a 40 dias para o resultado, mas o processo de liberação segue o procedimento normal. A unidade conta atualmente com 7 médicos legistas, 2 técnicos de necropsia, 2 auxiliares de necropsia e 4 assistentes administrativos. De acordo com a vigilância de saúde, foram realizadas recentemente várias adequações no espaço e há pleito junto ao Governo Estadual para um novo prédio que comporte o Instituto Médico Legal (IML) e SVO. Com relação a aumento da parte administrativa e de pessoal, recentemente foi realizado concurso público para várias categorias, em especial técnico de necropsia. O SVO atende Jundiaí, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Louveira, Cabreúva, além de Cajamar, Morungaba e Itatiba. T_svo_monte_negro2

Notícias relevantes: