Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Baixo isolamento em Jundiaí preocupa população nas ruas

Thiago Batista | 12/05/2020 | 05:16

O isolamento social em Jundiaí no final de semana foi o mais baixo registrado pelo Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi) desde 20 de março, quando começou a quarentena na cidade. Apenas 47% da população ficou em casa no sábado (9) e 51% no domingo (10). A cidade ficou abaixo da média estadual, sendo 50% no sábado e 53% no domingo. Segundo o Governo do Estado quanto maior o tempo em que a taxa de distanciamento ficar abaixo de 55%, mais longa será a necessidade de manutenção da quarentena.

Para o jundiaiense, a preocupação é evidente. A artesã Sônia Maria Batista, de 52 anos, e a desempregada Sara Conceição Leite, de 23 anos, precisaram sair de casa para ir ao médico para finalizar os exames de rotina. Foi o único motivo que as levaram sair de suas residências, sempre com a máscara facial. “Eu fui pegar meu exame do coração, pois dias atrás estava sentindo umas pontadas na região do meu peito. Sobre o isolamento social me preocupa os números baixos, pois todos deveriam respeitar a quarentena, para não espalhar ainda mais a doença”, diz Sara que estava acompanhada de sua mãe Magali.

Sônia diz que só sai de casa por necessidade. “Da minha residência apenas eu saio para fazer o que é necessário, pois meus familiares têm ficado em casa o tempo todo”, diz.

Trabalhando no ramo de alimentícios, Alan Pereira, de 29 anos, somente sai de casa para ir ao trabalho ou passar no dentista. Ele acredita que todos deveriam seguir o seu exemplo. “O povo está saindo de suas residências e fica andando nas ruas o que não deveria. Somente deve sair se for para trabalhar em algo essencial, como é o meu caso”, detalha.

Na opinião de Pereira as máscaras são uma proteção. “Elas evitam que as gotículas que saem da fala dos outros cheguem em mim”, completa.
O técnico de engenharia Maurício Giovanni, de 26 anos, somente sai de casa para trabalhar na empresa onde é funcionário. Na última semana pela primeira vez na pandemia ele foi até a região central para deixar no conserto um videogame. Para o técnico o uso de máscaras protege todos. “Usando o utensílio não há risco de ter alta transmissão da doença”, diz.

Opinião divergente possui o soldado do Exército, Wellington Fernando Soares, de 19 anos. “Não me sinto totalmente protegido usando a máscara pois ainda existe o risco de pegar a doença através do contato físico com outra pessoa. Somente utilizo pois se tornou obrigatório. Para mim não é pedindo para as pessoas ficarem em casa que os índices da doença irão diminuir. O que deve ser feito é um trabalho educacional, como incentivar as pessoas a lavarem as mãos”, descreve.

PELO AUJ
O número para que o isolamento seja considerado ideal é de 70%. Conforme decreto do governador João Doria, o isolamento social permanece até dia 31 de maio em todo o estado.

Outros dois municípios do Aglomerado Urbano de Jundiaí, Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista têm o índice de isolamento social sendo medidos pelo Simi. Campo Limpo Paulista marcou 53% no sábado e 57% no domingo. Várzea Paulista no mesmo período também apresentou números melhores que Jundiaí: 49% no sábado e 52% um dia depois.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/baixo-isolamento-em-jundiai-preocupa-populacao-nas-ruas/
Desenvolvido por CIJUN