Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Cães vão às ruas para ‘brincar’ de trabalhar

FÁBIO ESTEVAM | 21/09/2019 | 05:01

Para os guardas do Canil da Guarda Municipal de Jundiaí, os 14 cães policiais que hoje atuam pela corporação saem para as ruas dentro das viaturas a trabalho. Para os cães, porém, segundo o GM e adestrador Orlando João Pupo, eles saem para ‘brincar’. “Trata-se de uma brincadeira com responsabilidade. E eles sabem como fazer”, disse.

Essas brincadeiras, aliás, já ajudaram a tirar das ruas cerca de 30 quilos de drogas de janeiro a agosto deste ano, entre maconha, cocaína, crack e lança perfume.

Muitos traficantes também já foram presos durante essas traquinagens. Dez desses cães, inclusive, são especializados na localização de drogas e também armas – e tem mais um, a k-9 Pandora, que está sendo preparada para isso.

Aliás, já foram localizados neste ano dois revolveres e seis réplicas de armas de fogo, tiradas das mãos de criminosos.

Os cães participam em média de 35 situações policiais com boletins de ocorrência registrados por mês.

Já entre ações pela guarda, em apoio à Polícia Civil, e entre outras atividades, essa média passa de 100 ações.

Foram 100 atendimentos em junho, 116 em julho e 103 em agosto, sob o comando do chefe do Canil, inspetor Alceu Maristoni e do comandante da Guarda, Benedito Moreno. Os números são do setor de estatísticas da GMJ.

Para que os cães continuem rendendo frutos para a segurança pública, é preciso que um time trabalhe ao lado deles. Além do efetivo de guardas disponibilizados para o Canil, e que estão todos os dias na linha de frente combatendo o crime nas ruas, existem quatro diretamente responsáveis por treinar os cães. Pupo, GM Juliana Martins, GM Sérgio Meneses e GM Francisco – o GM Sérgio Luis está sendo preparado para também ser integrado ao time.

“Nós estamos aqui dando sequência à linda história do Canil. E a tropa está envolvida em tudo isso, porque todos gostamos do que fazemos”, disse o GM Pupo. “Nós e os atuais animais do Canil também.”

Um desses atuais animais citados por Pupo é o jovem Hammer, um rottweiler recém-chegado na corporação e que está sendo treinado para ataques com mordedura.

Outro, já mais conhecido, é o k-9 Jacob , um pastor belga malinois muito utilizado nas ações de combate ao tráfico.

Durante demonstração para a equipe de reportagem do JJ na tarde de ontem, localizou em poucos segundos várias peças com essência de maconha escondidas pelo campo de treinamento, na sede da GM, na Avenida União dos Ferroviários.

Valores
Pupo explica que a maioria dos cães que já passaram ou estão no Canil da Guarda são provenientes de doações. Outros, crias da própria corporação. E alguns foram comprados. Um animal já com idade em torno de dois anos, já treinado e pronto para o combate nas ruas pode ser comprado por valores que variam entre R$ 15 mil a R$ 25 mil.

Já para um animal novo, os valores de compra variam de R$ 3 mil a R$ 4 mil, dependendo da raça. “Temos que saber todo o histórico familiar desse animal, para termos uma ideia se poderão ou não fazer parte do nosso trabalho”, comentou o GM Pupo.

Galinha e galo dividem o espaço

De acordo com o GM e adestrador do Canil da Guarda Municipal de Jundiaí, Orlando João Pupo, é normal durante ações de combate ao crime, situações em que o cão se depara com animais diferentes, como galinhas, por exemplo.

Pensando nisso e para impedir que os cães ataquem esses bichos, o Canil passou a contar com quatro galinhas e um galo. “Eles são usados para que os cães possam se familiarizar. E quando encontrarem galinhas durante as ocorrências, não se distraiam e possam realizar o seu trabalho”, disse ele.

Durante a demonstração de localização de drogas, ontem à tarde, o cão se distraiu e foi para cima das galinhas. Bastou um comando para que o animal retomasse a concentração e localizasse em pouco tempo a droga que estava escondida.

 

 

 


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/caes-vao-as-ruas-para-brincar-de-trabalhar/
Desenvolvido por CIJUN