Jundiaí

Câncer de estômago já soma 21 mil casos por ano


O tipo de câncer que foi encontrado pelos médicos no prefeito de São Paulo, Bruno Covas, tem se tornado cada vez mais frequente entre pessoas mais jovens. Normalmente diagnosticado entre a população com mais de 55 anos, especialistas têm notado a patologia na faixa etária em que o gestor paulistano se encontra. Covas tem 39 anos. O prefeito foi diagnosticado com câncer no estômago e metástase no fígado depois de iniciar o tratamento de erisipela, uma infecção na pele provocada por uma bactéria. Durante o tratamento da doença inicial, os médicos descobriram uma trombose venosa. A partir daí, chegaram ao tumor. “Principalmente nessa idade, quando uma trombose é descoberta, os médicos não podem descartar um tumor malígno. Foi isso o que fizeram”, enfatizou o oncologista clínico do Hospital São Vicente de Paulo, Arthur Maia Filho. O câncer gástrico é detectado em 21 mil casos todos os anos, sendo 14 mil deles em homens. “O maior fator de gatilho da doença é a falta de hábitos saudáveis, excesso de uso de álcool, tabagismo e alimentação inadequada”, continua. Covas passou, na terça-feira, pela primeira sessão de quimioterapia, e continua no cargo despachando de dentro do hospital. “Ele pode terminar o cargo mesmo tratando a doença. É incurável, mas não intratável. Covas pode ter qualidade de vida mesmo com o câncer”, finaliza. (Guilherme Barros)  

Notícias relevantes: