Jundiaí

Carnaval de Jundiaí tem futuro incerto para o próximo ano

CARNAVAL 2020DESFILEUNIAO DO POVO
Crédito: Reprodução/Internet
Assim como sinalizado por São Paulo e Rio de Janeiro, não há em Jundiaí uma certeza de como será a programação de Carnaval para o próximo ano. As discussões, segundo a Unidade de Gestão de Cultura (UGC), estão sendo feitas com os técnicos do Departamento de Vigilância em Saúde e, posteriormente, o tema será debatido com os representantes das ligas de escolas de samba e com as agremiações. Enquanto a questão é resolvida, carnavalescos se preparam como podem, mas ainda não sabem se vão colocar suas escolas na avenida. O presidente da Liga Jundiaiense das Escolas de Samba (Lijunes), Sergio Aguiar, esclarece que as agremiações se adiantam como podem. “As escolas estão esperando definições, mas toda a parte de enredo, que pode ser feita on-line, está sendo feita, inclusive adiantada. O Carnaval de São Paulo será adiado e nós bebemos muito da água deles, porém estamos dentro do prazo. Começamos a conversar com a prefeitura em agosto e os carros alegóricos começam a ser feitos em dezembro. Pensamos que até lá a pandemia estará mais contida”, diz Aguiar ao lembrar que muitas escolas utilizam fantasias e outras itens das escolas da Capital. A preocupação, segundo ele, é saber se a vacina contra o coronavírus vai chegar até o desfile na avenida. “Nossa maior preocupação é o desfile. Estamos trabalhando em duas vertentes para o Carnaval, fevereiro ou pós-quaresma, no final de março e começo de abril. No próximo domingo (2) faremos uma reunião das escolas, on-line. Estamos trabalhando de casa”, diz Aguiar. Para Fernando Tadeu Sodelli, presidente da Arco-Íris Acadêmicos do Samba, é difícil avaliar qualquer coisa agora. “Tudo depende de verba e não podemos fazer eventos nem usar a quadra agora. Dependemos das datas da prefeitura. Eu nem sei se Jundiaí vai acompanhar São Paulo, mas acho até que a data na Capital é um cala-boca porque não tem como saber como estaremos ano que vem, dependemos da vacina e é preciso prezar pela saúde de todos”, acredita. O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Jundiaí (Liesj) e diretor financeiro da escola União da Vila Rio Branco, Laercio Mojola, reforça as incertezas quanto à folia em 2021. “Nós, enquanto liga, estamos com reuniões virtuais. Se tiver Carnaval, tudo indica que será em abril, maio, mas isto se tiver vacina. Mas não tem nada com o martelo batido. Já era o tempo da articulação dos contratos, principalmente de carros alegóricos, mas está tudo parado.” [caption id="attachment_97464" align="aligncenter" width="800"] A preparação das escolas de samba da cidade caminha devagar e sem verba[/caption]

Notícias relevantes: