Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Casos de covid-19 têm aumento de 44,75% no AUJ em julho

Kátia Appolinário | 01/08/2020 | 05:39

Nos últimos 30 dias, as sete cidades que fazem parte do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) registraram 5.822 casos positivos de coronavírus, sendo 209 mortes. Isso representa um aumento de 44,75% em relação ao mês de junho, em que foram registrados 4.022 casos da doença, sendo 200 óbitos.
Só em Jundiaí foram 3.292 casos positivos em um só mês, sendo que 127 faleceram. Em contrapartida, em junho foram 2.817 casos confirmados, sendo 116 óbitos. Assim, o crescimento específico dos casos no município foi de 16,86%.

Com a 9ª atualização do Plano SP, o Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS), área a qual pertence Jundiaí, permaneceu na Fase Laranja, que corresponde ao segundo nível de flexibilização.

De maneira geral, até a tarde dessa sexta-feira (31), Jundiaí registrava 7.031 casos confirmados, sendo 310 óbitos. No entanto, vale ressaltar que, dos contaminados, 86,14% já se recuperaram da doença. A taxa de letalidade, por sua vez, é de 4,41%.

Entre as cidades do AUJ, a que apresentou maior crescimento no número de casos em relação ao último mês foi Campo Limpo Paulista com um aumento de 620%. Em junho, a cidade registrou 84 positivos, sendo 19 óbitos. Já em julho, foram 605 casos, e o número de mortes se manteve estável. No total, são 754 confirmações, sendo 47 mortes e 590 recuperados.

Logo em seguida, está a cidade de Cabreúva que apresentou um incremento de 157% nos índices de casos confirmados. Em junho a cidade teve 250 casos positivos, já em julho foram 644, ou seja, 394 casos a mais em relação ao mês anterior. Desde o início da pandemia Cabreúva contabiliza 952 casos positivos. São 34 mortes e 780 recuperados.

Em terceiro lugar está a cidade de Itupeva, com um aumento de 97%. Em junho foram 264 casos positivos, já em julho, foram 522 confirmações. Em linhas gerais, a cidade possui 848 contaminados. São 26 mortes e 803 curados.

Em Jarinu, os casos cresceram em 85%. A cidade registrou 69 casos a mais em relação ao mês anterior e hoje possui um total de 282 casos confirmados, sendo 19 óbitos e 256 recuperados.

Várzea Paulista, por sua vez, teve um aumento de 35% nos positivos. Foram 324 em junho, contra 438 casos em julho. As mortes por sua vez, apresentaram uma pequena queda, com uma confirmação a menos em relação ao mês anterior. O município contabiliza assim 892 casos positivos, sendo 55 mortes e 541 recuperados.

Em contrapartida, vale ressaltar que Louveira foi a única cidade do AUJ que apresentou queda no número de casos no período. A redução foi de 15,35%, uma vez que no mês anterior a cidade registrou 292 casos, já nos últimos 30 dias, foram 171. Assim como em Campo Limpo, o número de mortes mensais em Louveira permaneceu estável, com oito falecimentos confirmados. Na cidade há 515 contaminados pela doença. Dentre esses, 17 faleceram e 386 já se curaram.

 

DE OLHO NA FASE AMARELA
Com a recalibragem dos critérios de avaliação para a transição de fases, agora serão analisados critérios de estabilidade, a liberação da capacidade hospitalar e a evolução da pandemia, levando em conta a quantidade de casos, internações e óbitos nos últimos sete dias.

Frente a isso, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC) está otimista em relação à 10ª atualização do Plano, prevista para a próxima sexta-feira (7) e já se prepara para a possibilidade de passar para a fase amarela junto ao Departamento Regional de Saúde de Campinas.

Conforme estudo apresentado ao Governo do Estado e conhecido pela imprensa, o AUJ dispõe de capacidade de leitos UTI para cada 100 mil habitantes acima de 5,0, considerado nível pleno na classificação do Plano SP.

Para efeito comparativo, em 24 de julho, a taxa de ocupação da UTI pública estava em 72%, e nessa sexta (31), apresentava 55%. Por fim, cabe reiterar que o AUJ permanece com a solicitação para o desmembramento do DRS de Campinas, na avaliação do Plano SP, junto ao Governo do Estado.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/casos-de-covid-19-tem-aumento-de-4475-no-auj-em-julho/
Desenvolvido por CIJUN