Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Cerca de 1% da população de Jundiaí sofre com o vitiligo

| 25/06/2014 | 00:00

As manchas brancas na pele que caracterizam o vitiligo trazem grande desconforto para quem as possui. De acordo com estatísticas da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), na cidade, entre 4 mil a 8 mil pessoas possuem a doença, ou seja, ao menos 1% da população.

O vitiligo ficou bastante conhecido com a morte do cantor Michael Jackson – que tinha a doença -, no dia 25 de junho de 2009, por isso a data é reconhecida como Dia Mundial de Combate ao Vitiligo. A FMJ promove nesta quarta-feira, em seu Ambulatório de Especialidades, atendimento exclusivo aos pacientes com a doença, das 16h às 22h (na rua Francisco Telles, 250, Vila Arens).

Para ser consultado não há necessidade de agendamento prévio. Pessoas que possuem parentes com a doença também podem passar pelo atendimento, que servirá para tirar as dúvidas sobre o desenvolvimento da doença – não transmitida por contato.

Durante o Dia Mundial de Combate ao Vitiligo, instituído em 2012 pela Vitiligo Research Foundation, haverá coleta de assinaturas para sensibilizar os órgãos mundiais de saúde sobre a necessidade de maior investimento em pesquisas e tratamentos da doença. Os interessados em colaborar podem comparecer ao Ambulatório e participar da campanha, encabeçada pela Secretaria Geral das Nações Unidas (SGNU), que também disponibiliza o site para a participação.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/cerca-de-1-da-populacao-de-jundiai-sofre-com-o-vitiligo/
Desenvolvido por CIJUN