Jundiaí

Sandi comemora 25 anos com tema relacionado às mulheres


T_AM510062
Crédito: Reprodução/Internet
O tempo nublado não desanimou os foliões nesta sexta-feira (1º), no desfile do Refogado do Sandi, bloco tradicional de Jundiaí que, em 2019, comemora jubileu de prata. O tema deste ano foi dedicado às mulheres que compuseram toda a corte. Pela primeira vez como Rainha, a jornalista Liliane Rossi, conta sobre a experiência. "É uma honra muito grande, principalmente pela corte ser feita por mulheres e também pelo tema deste ano. Acho importante falar do empoderamento feminino”, destaca. Serpentina, confetes e fantasias criativas de super-heróis, personagens de séries, atores e as tradicionais de pirata, anjo e diabo tomaram as ruas da área central da cidade, a Barão e a Rosário. A profissional de Comércio Exterior Vanessa Bonfim, 35 anos, estava fantasiada de mágica e é a primeira vez que participa do desfile do Refogado. "Estou achando super animado. Carnaval, para mim, significa festa, alegria e curtição", diz. Com o rosto coberto de glitter, o empresário Fábio Brito, 27 anos, é de Jundiaí, mas também participa pela primeira vez. Ele veio acompanhado do grupo de amigos Luciana, Anderson, Thiago, Everton e Fábio. "Meus amigos me chamaram e eu vim empolgado". No grupo estava também a empresária Andréia Campos, que veio de Campinas para curtir o Carnaval pela segunda vez na cidade. O médico Mauri Franco, 34 anos, estava acompanhado da esposa Juliana, que também é médica, e do casal de amigos Anderson e Cláudia. Todos estavam fantasiados de unicórnio. Mesmo com a garoa fina no começo do desfile, o grupo decidiu aproveitar a festa. “Dá para aproveitar do mesmo jeito, com ou sem chuva. Um casal de amigos que vem há anos nos trouxe. Estamos aqui para aproveitar”, comemora o médico. Em meio a tantos calouros, há também os veteranos como Márcia Matarazzo, 66 anos, acompanhada da amiga Elizabete Lopes, 68. “Participamos do Sandi desde o início do bloco, mas fantasiadas é a primeira vez. Fantástico. Carnaval deveria ser todo dia, não uma vez por ano”, opina Elizabete. O cientista social Samuel Vidilli, 37, participa há 19 anos da folia e com fantasias diferentes. Neste ano, desfilou de pirata e mesmo sendo difícil classificar qual foi a melhor até agora, reconhece que foi a de mosqueteiro, no ano passado. Desde 1994, o Refogado do Sandi desfila pelas ruas Centrais de Jundiaí e se transformou em tradição nas sextas que antecedem o Carnaval. T_AM510155 T_AM510016 T_AM510156 T_AM510100 T_AM510062

Notícias relevantes: