Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Chuvas são monitoradas pelo Plano de Prevenção

SIMONE DE OLIVEIRA | 13/03/2019 | 05:04

Com as chuvas castigando cidades da Grande São Paulo e causado tantos prejuízos, a preocupação dos municípios do entorno é colocar em prática planos para evitar os danos das famosas “chuvas de verão”. E Jundiaí não é diferente e desde dezembro está em curso o Plano Preventivo de Defesa Civil – Chuvas de Verão (PPDC).
O objetivo da força-tarefa é monitorar as áreas de risco, fiscalizar o volume de água por meio dos 14 pluviômetros distribuídos na cidade, e visitar, in loco, os bairros onde há ocorrências mais graves.
Segundo o coordenador da Defesa Civil de Jundiaí, coronel João Osório Gimenez Germano, nestes primeiros dias de março já choveu o equivalente a 92 milímetros, sendo que a média dos últimos sete anos é de 400 milímetros em todo o mês. Um número que deve ser observado, mas nada comparado ao que aconteceu em São Paulo, quando foi registrado um volume de 160 milímetros em um período de oito horas. “Desde dezembro estamos com o plano em ação e assim conseguimos agir com rapidez quando há uma ocorrência fora do comum. Contamos com a parceria de outros órgãos para este trabalho”, lembra.
Com previsão de mais chuvas para os próximos dias, em especial no final da tarde, o coordenador ressalta que a preocupação é sempre com o volume de água, unida a ventos fortes e raios. Mas explica que as chuvas têm sido generalizadas, ou seja, nem sempre caem com a mesma intensidade em toda a cidade. “Nesta quarta-feira (hoje) teremos pelo menos um volume de água na casa dos 30 milímetros, e toda chuva é monitorada com cautela”, explica.

ÁGUA EM EXCESSO
Em função da grande quantidade chuvas dos últimos dias, a represa de Jundiaí está com sua capacidade máxima, ou seja, 9,3 bilhões de litros de água e todo seu excedente é controlado por meio de um vertedouro, por onde ocorre o extravasamento.
De acordo com a DAE, toda a água que sai da represa de acumulação é conduzida até a represa de captação. Depois deste processo parte do volume de água vai para a Estação de Tratamento de Água do Anhangabaú (ETA) e o excedente segue seu fluxo até o rio Jundiaí. A represa de captação também possui um extravasor.
O vertedouro utilizado pela empresa é uma estrutura fixa em concreto por onde a água extravasa quando o reservatório, no caso a represa, atinge sua capacidade máxima.
De acordo com o Climatempo, site especializado em meteorologia, hoje haverá pancadas de chuva à tarde e à noite, com temperaturas variando de 20 a 31 graus.

DEFESA CIVIL  CORONEL JOAO OSORIO GIMENEZ GERMANO COORDENADOR DA DEFESA CIVIL


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/chuvas-sao-monitoradas-pelo-plano-de-prevencao/
Desenvolvido por CIJUN