Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Cidades do AUJ não avançam na imunização contra febre amarela

Niza Souza . csouza@jj.com.br | 11/01/2018 | 12:49

No último mês, das cidades do Aglomerado Urbano de Jundiaí, apenas Jundiaí avançou um pouco na cobertura vacinal contra a febre amarela. No restante, o índice continua o mesmo do último levantamento feito pela reportagem do JJ Regional no início de dezembro. Depois da confirmação de mais uma morte por febre amarela na Região, confirmada na terça-feira (9), os municípios intensificam as ações de vacinação e, mais uma vez, reforçam o pedido aos moradores para se imunizarem.

Na terça-feira foi confirmada a segunda morte na Região, desta vez em Jarinu. Abigail Pereira dos Santos Souza, de 54 anos, morreu no dia 31 de dezembro. A primeira morte foi registrada em outubro, em Itatiba. Desde o ano passado, quando surgiram os primeiros macacos mortos pela doença, foram confirmados quatro casos de febre amarela em humanos, com duas mortes.

Em Jarinu, foram aplicadas cerca de 20 mil doses de vacina, equivalente a 70% da população, mesmo índice do início de dezembro. Ontem, a Secretaria de Saúde da cidade afirmou que vai ampliar o horário de vacinação contra febre amarela no Ambulatório Central até as 20h, de hoje até dia 19 de janeiro. Além disso, no dia 20 (sábado), promoverá mais uma campanha, das 8h às 16h, também no Ambulatório Central.

Em Jundiaí, a cobertura vacinal contra febre amarela chegou a quase 94%; em dezembro, era 92%. Mesmo com o alto índice, a prefeitura mantém três unidades de saúde com demanda livre e horário estendido: Hortolândia e Tamoio, até as 20h, e Novo Horizonte, até as 19h30.

A cidade registra até agora apenas um caso da doença. O paciente, um homem de 55 anos, morador do bairro Ivoturucaia, já teve alta do hospital. Há mais de um mês, desde o dia 5 de dezembro, não há registro de macacos mortos por febre amarela em Jundiaí.

Em Itatiba, foram registrados dois casos. Além da morte de um homem de 76 anos, outro morador foi diagnosticado com a doença, mas já recebeu alta. A cidade informa que já vacinou 99,5% do público-alvo.

Outros municípios
Apesar de não registrarem casos da doença em humanos, os outros municípios da Região continuam com campanhas para imunizar a população, já que a cobertura vacinal pouco avançou no último mês.

Várzea Paulista e Louveira não atingiram 50% da população. Em Várzea, onde também não há casos confirmados em macacos, a Unidade de Saúde vai intensificar a campanha de vacinação entre os dias 15 e 19 deste mês. Serão disponibilizados dois novos postos: um no evento Cerco de Jericó, na Igreja da Vila Santa Terezinha, e outro no Poupatempo da cidade, das 16h30 às 20h.

Em Louveira, são 24 mortes de macacos confirmadas pela doença, nos bairros Capivari, Faixa Azul, Barreiro, Cestaroli, Luiz Gonzaga, Estiva, Sagrado Coração de Jesus, Jardim Nova América, Abadia, Engenho Seco, Arataba e Monterrey, o que significa que o vírus causador de Febre Amarela já circula no município. As unidades de saúde continuam oferecendo a vacina.

Em Campo Limpo Paulista, 67% da população foi imunizada. O município registra até agora 13 macacos mortos por febre amarela, mas nenhum caso em humanos.

Itupeva, com 85% da população imunizada, também não registra casos da doença em humanos, nem em macacos. Mesmo assim, já foram vacinadas mais de 37 mil pessoas.

A reportagem procurou a Prefeitura de Cabreúva, mas a assessoria não enviou as informações solicitadas. Em dezembro, a cidade havia imunizado apenas 44% da população.

Vale lembrar que somente há restrições para receber a dose da vacina para pessoas que fazem uso de medicamentos imunossupressores, quimioterapia e alguns corticoides, além de pessoas alérgicas a ovo. Em caso de dúvida, o paciente deve ir até uma UBS e confirmar as informações.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/cidades-do-auj-nao-avancam-na-imunizacao-contra-febre-amarela/
Desenvolvido por CIJUN