Jundiaí

Cinco horas após ser solto, líder do PCC no PR rompe tornozeleira e foge


tornozeleira
Crédito: Reprodução/Internet
Apenas 5 horas após ir para prisão domiciliar, o líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Paraná, Valacir de Alencar, rompeu a tornozeleira eletrônica e fugiu na última sexta-feira (17). O homem, de 39 anos, estava preso na penitenciária estadual de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, e conseguiu ir para casa por integrar grupo de risco do novo coronavírus. Ele está foragido. Alencar solicitou o benefício no dia 26 de março alegando sofrer de hipertensão e teve o pedido concedido pelo juiz Diego Paolo Barausse no dia 1º de abril. Às 10h23 de sexta, o detento deixou a prisão e às 15h23 do mesmo dia se livrou da tornozeleira. O rastreamento mostra que o equipamento ficou transitando na BR-376 durante todo o sábado (18), indicando que foi deixado em algum meio de transporte. Alencar, conhecido também como Polaquinho, é apontado como líder do PCC no Paraná e foi condenado a 76 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, associação criminosa, lavagem de dinheiro e porte de armas. Ele comandava o tráfico em Campo Largo, na região metropolitana da capital. Com sentença transitada em julgado, ele cumpriu seis anos e cinco meses de prisão e teria direito à progressão de regime apenas em 2039. No início da pandemia da Covid-19, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) determinou a possibilidade de concessão de benefícios como de prisão domiciliar para conter a propagação da doença nas prisões. O Ministério Público do Paraná alertou que a medida poderia beneficiar também condenados por crimes graves, como homicídio qualificado, feminicídio, organização criminosa e tráfico de drogas. A secretaria de segurança do Paraná não se manifestou até a publicação da matéria. A reportagem não conseguiu contato com o advogado do foragido.

Notícias relevantes: