Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Coelhinho chega mais tímido em 2020

Nathália Sousa | 08/04/2020 | 05:04

As vendas de diversos produtos não-essenciais sofreram quedas, incluindo o tradicional ovo de chocolate. Segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas), as vendas devem apresentar queda em comparação com o ano passado. O crescimento estimado no estado de São Paulo era de 2,2%, agora a expectativa é de queda de 8,5%.

O gerente de um supermercado de Jundiaí, Mário Martins, de 36 anos, revela que os produtos até chegaram em um valor médio, mas devido às vendas baixas, a rede precisou fazer promoções. “Os mercados costumam receber duas remessas de ovos. Uma no início do ano e outra assim que se aproxima a Páscoa, mas este ano não pedimos pela segunda remessa”, diz.

Alguns ovos já estão em falta no supermercado onde Martins trabalha, mas não há mais mercadoria para reposição por conta do pedido único. Maria do Socorro, de 36 anos, costuma comprar pelo menos cinco ovos de Páscoa todos os anos para os filhos e afilhados e este ano percebeu a queda de preço: “O ano passado o produto estava mais caro”, diz.

Já Valquíria Castelani, de 54 anos, também comprava um ovo de chocolate para a filha, mas agora percebeu que o preço diminuiu só agora, às vésperas da Páscoa. “Eu tinha comprado um ovo antes, agora comprei outro da mesma marca e agora está mais barato.”

A consumidora ainda percebeu mudanças no atendimento das lojas especializadas em chocolates. As mesmas estão impedidas de abrirem as portas por conta do isolamento. “Liguei em uma loja de chocolate, encomendei e fui buscar. Eles entregam no estacionamento.”
Uma dessas marcas especializadas em chocolates e que atende de porta fechada adotou o método de revenda. “Estamos fazendo a venda direta porque alguns pontos fecharam. A marca está fazendo parceria com vários pontos”, conta Rafael Spina, de 41 anos, proprietário de uma mercearia.

Ele se cadastrou há cerca de um ano para revender os chocolates e diz que para essa Páscoa também faz entregas dos ovos, que custam de R$ 120 a R$ 200. “Tá vendendo, não encalhou não”, revela Spina ao lembrar que a procura dos ovos é maior para presentear.

 

 

 


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/coelhinho-chega-mais-timido-em-2020/
Desenvolvido por CIJUN