Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: DOMINGO DE RAMOS, celebração que inspira necessárias e profundas reflexões


A Semana Santa, que se inicia hoje com o Domingo de Ramos (um evento da vida de Jesus mencionado nos quatro evangelhos canônicos: Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19) e se estende até a Páscoa, mais que simples representação histórica ou celebração religiosa, constitui-se numa época de necessárias reflexões, principalmente pela grave que afeta o mundo. Com efeito, os fatos que nela se revivem, acabam por atualizar em cada um de nós, os sentidos de solidariedade, de fraternidade e principalmente, de Justiça Social. É profundamente lamentável que nesta época, com uma série infindável de problemas provocados pela pandemia do coronavirus, muita gente se mostra distante destas comemorações. Essa indiferença demonstra que o egoísmo e o individualismo prevalecem na atualidade, provocando uma inversão de valores. Alguns passam a seguir uma trilha vulnerável às questões espirituais, mas fortemente afeita às coisas materiais, de tal sorte que somente são considerados aqueles que detêm grandes riquezas terrenas. Um quadro vergonhoso, deturpador dos verdadeiros princípios e manifestamente alienante em relação a terceiros, que diariamente sucumbem sem alcançarem as suas aspirações básicas para que possam viver dignamente. No entanto, com sua ressurreição, Jesus inaugurou uma nova era para a humanidade, decretando a vitória da vida sobre a morte e apontando a libertação como o ideal maior de todo o indivíduo, o que nos impõe implicações éticas de conduta, quer como cristãos, quer como cidadãos: a solicitude pelos pobres, migrantes e excluídos; a educação em favor da paz; a defesa dos direitos humanos; a promoção da saúde e da moradia; a luta ecológica e a formação político-cristã do povo. Para que alcancemos tais propósitos, precisamos compreender o momento pascal como passagem do unilateralismo que acumula para a partilha do amor que divide; da tristeza e do vazio existencial para a alegria de horizontes definidos; do desânimo diante das dificuldades para o estímulo de verdadeiras conquistas; da ganância que isola para o desapego e a fraternidade, e do pecado para a graça. Efetivamente, precisamos de muita coragem e determinação, pois num mundo onde o TER pode mais que o SER, as atitudes de desapego se tornam extremamente difíceis. O Domingo de Ramos, que abre solenemente a Semana Santa, com lembrança das Palmas e da Paixão e a entrada de Jesus em Jerusalém convida-nos a ingressar numa nova dimensão, mais espiritual. Não é mais possível convivermos com a desconsideração extrema a qual são submetidos milhões de seres humanos, atingidos por diversas formas de exclusão regional, étnica e cultural. Não podemos aceitar a corrupção, a negligência dos nossos administradores e principalmente, a ausência de respeito à dignidade da humana. Aproveitemos a ocasião para anunciar com ênfase o valor da vida e do amor como critério fundamental na construção de uma nova era. BREVE REFLEXÃO O Importante é vivermos algo novo a cada dia para não cairmos numa triste rotina. É difícil, mas não impossível. Busquemos a paz de espírito e tenhamos muita esperança. Já se disse que a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus. JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI é advogado, jornalista, escritor e professor da Faculdade de Direito do Centro Universitário Padre Anchieta de Jundiaí. Ex-presidente das Academias Jundiaienses de Letras e de Letras Jurídicas ([email protected])  

Notícias relevantes: