Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: Dr. Jorge Luiz de Almeida, amigos, professor, conciliador e grande exemplo. Saudades


45D129BF-ED76-46D2-B4B5-695ECED3756B
Crédito: Reprodução/Internet
Infelizmente o Dr. Jorge Luiz de Almeida veio a falecer nessa quinta-feira. Uma pessoa que merecidamente sempre gozou de elevada estima e consideração. Foi Promotor de Justiça, Procurador e Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Foi o primeiro diretor da Faculdade de Direito do Centro Universitário Padre Anchieta de Jundiaí, tendo sido responsável ao lado do prof. Pedro Clarismundo Fornari, por sua implantação. Homenageado pela primeira turma na qual se formaram personalidades da cidade como Tobias Muzaiel, Mariazinha Congilio, Maestro Luis Biela, Nassib Cury (já falecidos), Adoniro José Moreira, Maria Aparecida Mazzola, Ivonete Guimarães Gazzi Mendes, Arlete Paschoalini Arkchimor, Clarisvaldo Favre, entre outros. Foi professor na Faculdade de Direito da Pontíficia Universidade Católica de Campinas, onde também dirigiu e lecionou no curso de pós-graduação em Direito Procesual Civil. Ainda no magistério, atuou na Faculdade de Direito Metodista de Piracicaba. Era doutor em Direito Constitucional pela Universidade de São Paulo, onde também se graduou. Eu o conheci ainda criança, pois estudei com seu filho José Luis Gavião de Almeida, o Zélo, todo o curso ginasial e colegial no Instituto Experimental de Educação de Jundiaí, tendo ainda com ele, ingressado na Faculdade de Direito da PUCcamp, onde Dr. Jorge foi meu professor de Processo Penal e posteriormente, meu mestre e orientador no curso de Mestrado. Nessa fase, por diversas vezes tinha o prazer de levá-lo de Jundiaí para Campinas, onde conversávamos muito e me propiciava ótimos exemplos de vida, não só profissional, como também social. Ele foi um grande amigo, um brilhante jurista, uma pessoa extraordinária e boníssima que construiu uma bela família, deixando desde já, muitas saudades. Tive a honra de tê-lo como um dos prefaciadores do meu último livro "O Direito de Envelhecer Num País Ainda Jovem" (Ed. In House), em sexta edição. Durante os quatro anos que presidi a Academia Jundiaiense de Letras, sempre recebi seu total apoio e por diversas vezes, na antologia anual da entidade, escreveu sobre a amizade com meu pai, o saudoso Com. Hermenegildo Martinelli. E são com as palavras da atual presidente da AJL, Susana Ferretti, que encerro essa singela homenagem a esse grande ser humano: "Dr. Jorge é merecedor de nossas homenagens, pois além de extremamente competente era uma pessoa possuidora de muitas qualidades, especialmente o dom de ser conciliador, uma voz de paz e luz nos momentos necessários"

Notícias relevantes: