Jundiaí

Com 47 casos, Jundiaí inicia campanha de vacinação


VACINA SARAMPO UBS VILA HORTOLANDIA BRUNA CABRAL VALENTINA CABRAL
Crédito: Reprodução/Internet
Em Jundiaí, 47 casos de sarampo já foram confirmados.. De acordo com a última atualização do boletim epidemiológico, na semana passada foram contabilizados mais três. Segundo a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), por meio da Vigilância Epidemiológica (VE), em 4 de outubro eram 236 notificações, 66 descartados e 47 positivos. Na semana anterior, 27 de setembro, 215 notificações, 59 descartados e 44 casos positivos (todos com ações de bloqueio). A gerente da Vigilância Epidemiológica, Cinara Fredo, explica que há mais de 20 anos não era registrado caso de sarampo em Jundiaí. “É uma doença considerada grave porque pode ter complicações, levando até ao óbito. É necessário adotar todas as medidas preventivas.” A jundiaiense Bruna Cabral, preocupada com o surto de sarampo, levou sua filha Valentina, um ano e três meses, para tomar a segunda vacina contra sarampo na Unidade Básica de Saúde da Vila Hortolândia. “Eu estava preocupada com a minha filha. Já havia trazido ela antes para ver se estava tudo bem. A doutora me disse para voltar hoje para tomar a segunda vacina", explicou a mãe. Além de Bruna, Celeste Chavez também estava com seu filho Leonardo, um ano, na UBS para tomar a vacina. “Eu já dei todas as vacinas. Agora com esse surto de sarampo, não ia deixar ele sem”, explicou Celeste. Imunização A Prefeitura de Jundiaí iniciou ontem (7), a Campanha Seletiva de Vacinação que vai até o dia 25. A ação visa imunizar crianças entre 6 meses e menores de 5 anos em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Novas UBSs e Clínica da Família. O ‘Dia D’ será em 19 de outubro, das 8 às 17 horas, exclusivamente nas UBSs Rami, Tamoio, Hortolândia e Clínica da Família Novo Horizonte. A vacinação contra o Sarampo é indicada para as pessoas nascidas a partir de 1960, que não tenham imunização registrada na carteira de vacinação. São necessárias duas doses para pessoas até 29 anos e uma dose para quem tem mais de 30 anos. As crianças entre 6 meses e menores de 1 ano foram incluídas pela Secretaria de Estado da Saúde para a recepção da dose extra, além das doses de rotina (aplicadas aos 12 e 15 meses).

Notícias relevantes: