Jundiaí

Combate ao alzheimer passa pela socialização e interação dos idosos


2014-09-18_20-39-47_1
Crédito: Reprodução/Internet

Dados da Associação Brasileira de Alzheimer (ABraz) apontam que 35 milhões de pessoas tem essa doença no mundo. Só o Brasil detém cerca de 1,2 milhão de casos. Manter a mente ativa é a melhor alternativa para evitar a doença, alertam especialistas, lembrando que domingo (21) é o Dia Mundial de Combate ao Alzheimer.

O professor de geriatria e gerontologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), José Eduardo Martinelli, explica que após a doença já instalada no cérebro não é possível regredir o quadro. No entanto, quando o diagnóstico é feito precocemente, ainda em estágio de Demência Cognitiva Leve (DCL), com tratamento adequado é possível brecar o avanço do mal.

Para registrar o Dia Mundial de Combate ao Alzheimer, algumas atividades serão realizadas por instituições ligadas à saúde. O grupo Sobam realiza nesta sexta-feira (19) a “Gincana do Vovô”, a partir das 14h, na rua Bom Jesus de Pirapora, na unidade de Medicina Preventiva. Já a FMJ, em parceria com a ABraz - Sub-regional Jundiaí, fará sábado (20), às 9h, uma palestra com o médico sobre o diagnóstico e o tratamento da doença. Não é necessário inscrição prévia e a palestra será gratuita.

A Sub-regional da ABraz em Jundiaí realiza mensalmente, no terceiro sábado do mês, uma reunião gratuita, às 9h, na FMJ, com o objetivo de apoiar esse grupo de cuidadores e orientá-los sobre a forma mais adequada de tratar estas pessoas.

Mais informações na edição impressa do Jornal de Jundiaí desta sexta-feira (19)


Notícias relevantes: