Jundiaí

Comerciantes focam na data para a recuperação

T_CENTRO DIA DOS PAIS_11
Crédito: Reprodução/Internet
Faltando duas semanas para o Dia dos Pais, os comerciantes estão otimistas para a retomada das vendas. Apesar de não arriscarem um palpite sobre um aumento em comparação ao ano passado, principalmente por terem retomado as atividades há três dias devido à passagem de Jundiaí à Fase Laranja do Plano SP, a expectativa é grande para movimentar o fluxo de caixa. O comerciante Antônio José, de 65 anos, trabalha há 13 anos em uma loja de roupas sociais na rua do Rosário e está confiante com a proximidade da data. "Os clientes já estão buscando pelos presentes de Dia dos Pais que, normalmente, é uma data bem forte para nós. Então mesmo com a semana começando fraca, esperamos que melhore nos próximos dias", diz. Leandro Vertuan, de 33 anos, é proprietário de uma relojoaria localizada na região central e, para ele, as vendas ainda não atingiram o esperado. "Acredito que seja por estarmos no final do mês, mas a partir da próxima semana esperamos um incremento de 20% no faturamento em razão do Dia dos Pais", compartilha, valendo-se de que, desde o começo da pandemia, houve uma perda de 35% nos lucros mensais. Os comerciantes da Ponte São João também comemoram a retomada das atividades. Esse é o caso do empresário Guilherme Mendes Dan, de 37 anos, proprietário de uma loja de moda plus size masculina. “De sexta-feira para cá conseguimos perceber um aumento expressivo nas vendas. Se continuarmos neste compasso, projetamos um crescimento de 20 a 30% em relação aos meses anteriores”, afirma. No entanto, essa onda próspera dos comerciantes só é possível através da adesão do público consumidor. A estudante Sara Negrin, de 18 anos, por exemplo, não poupou esforços e enfrentou a extensa fila de uma loja de departamentos. "Não vim pelo presente do meu pai, mas sim para comprar um ringlight que eu queria há tempos. Temos que aproveitar esse período de reabertura", aponta. Por outro lado, há quem não ache necessário a compra in loco, como a advogada Larissa Medeiros, de 23 anos. "Estou de passagem, mas no geral não sou a favor da reabertura nesse momento, principalmente sabendo que hoje podemos comprar tudo on-line. É assim que eu vou comprar o presente do meu pai”, argumenta. INSTITUIÇÕES Mesmo com o otimismo aparente dos consumidores, ainda não há dados oficiais sobre quanto a data poderá render neste ano. É o que conta o presidente da Associação Comercial de Empresários de Jundiaí (ACE), Mark William Ormenese Monteiro. “Estamos vivenciando um momento único na economia e não temos parâmetros de comparação para previsão de aumento de vendas em relação ao mesmo período de 2019, porém o avanço da região de Jundiaí para a Fase Laranja do Plano SP, que permite a reabertura do comércio de rua, mesmo com restrições, traz um alívio para os comerciantes e expectativa de dias melhores”, diz. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), Edison Maltoni, a reabertura se deu no momento certo. “Com certeza o setor de comércio terá condições de se aquecer. Entre os setores que podem ter um desempenho melhor nas vendas estão vestuário, calçados, perfumes e eletrônicos. Os empresários devem investir em promoções, kits para presentear, facilidades no pagamento, apostar em parcerias para criar um leque maior de oportunidade de negócios”, diz.   [gallery columns="2" size="medium" ids="97474,97473"]

Notícias relevantes: