Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Comércio já prevê 2,5 mil vagas para final de ano

DA REDAÇÃO | 08/10/2019 | 05:00

O comércio varejista de Jundiaí prevê a geração de 2,5 mil vagas temporárias a partir deste mês, para atender as demandas da Black Friday, Natal e Ano Novo. A projeção é do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio). Em 2008 foram criadas duas mil oportunidades.

Dados da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Assertem) estima crescimento de 13,86% o crescimento de vagas temporárias até dezembro. A entidade aposta na abertura de 570 mil vagas diante das 500 mil de 2018, sendo 366 mil só no Estado de São Paulo.

Já o emprego no comércio varejista do Estado de São Paulo deve aumentar em 7,86% em relação aos 30,6 mil registrados em 2018.

Serão 33 mil trabalhadores temporários para o fim do ano, de acordo com a estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Metade das vagas deve ser aberta pelo varejo de vestuário, tecidos e calçados. Os supermercados concentrarão cerca de 25% das vagas e o restante será dividido, principalmente, entre os segmentos de eletrodomésticos; eletrônicos e lojas de departamentos; móveis e decoração; farmácias e perfumarias.

De acordo com Edison Maltoni, presidente do Sincomercio, historicamente a oferta de vagas se intensifica em outubro.

Boa parte das contratações deve ocorrer em novembro. Agências de emprego e diversas lojas já estão recebendo currículos.

As entidades CDL (www.cdljundiai.com.br) e Sincomercio (www.sincomerciojundiai.com.br) também recebem currículos.

“Calçados, vestuário, eletrodomésticos, eletrônicos, lojas de departamentos, móveis e decoração, supermercados, farmácias e perfumarias estão entre os setores que devem concentrar a maioria das vagas”, detalha.

Perfil do profissional
Para trabalhar no comércio, Maltoni exemplifica que o profissional deve ser comunicativo, interessado e ter disponibilidade de horário, inclusive para trabalhar após as 18 horas no final de ano e aos finais de semana.

“O consumidor está cada vez mais exigente. Dessa forma, o profissional deve buscar informações sobre os produtos a serem vendidos, ser atencioso, responsável. Estatisticamente, 25% da mão-de-obra temporária é efetivada por isso o profissional deve valorizar esta oportunidade”, afirma.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/comercio-ja-preve-25-mil-vagas-para-final-de-ano/
Desenvolvido por CIJUN