Jundiaí

Comércio registra alta de 2,3% nas vendas


As vendas do comércio brasileiro registraram a maior alta do setor nos últimos 5 anos, fechando 2018 com um crescimento de 2,3%. É a maior alta do setor desde 2013, quando havia sido registrado um crescimento de 4,3% Os dados foram divulgados ontem (13), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na cidade de Jundiaí não foi diferente, e os comerciantes comemoram a evolução nas vendas. “A expansão do setor também é beneficiada pela inflação baixa e pela retomada gradual da recuperação da confiança na economia tanto por parte dos consumidores quanto dos empresários. Estima-se que comércio varejista entre em rota de crescimento mais pujante, mas o cenário ainda depende de melhora do mercado de trabalho e das reformas do novo governo”, analisa o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), Edison Maltoni. Giovana Molineiro é proprietária de uma loja de chocolates na Rua do Rosário, Centro de Jundiaí, e também destaca o constante crescimento no setor. “Assumi a loja em novembro do ano passado e em dezembro já conseguimos ter um crescimento de 64% nas vendas em relação ao mesmo período do ano de 2017”, destaca. As trufas, bombons e sorvetes, entre outras coisas, fizeram com que a loja também fechasse o mês de janeiro de 2019 com uma alta de 15% em relação ao mesmo mês, em 2018. Ainda no setor do comércio, mas dessa vez em loja de roupas, o aumento também chamou a atenção. “Em dezembro de 2018 aumentaram em 60% as vendas em relação ao mesmo mês de 2017”, diz Danilo Maluf, proprietário da loja desde agosto de 2016. Para ele, além dos novos investimentos que aconteceram na loja, o público parecia mais disposto e com mais condições que em outros anos. “Mudamos de local e as vezes estamos com promoções de até 50% de desconto, que contribuem bastante, mas a população parece estar procurando mais”, analisa Danilo. Segundo o comerciante, o último mês do ano passado foi o melhor de todos desde a abertura da loja. Aliado a este cenário, o presidente da CDL, Edison Maltoni, também citou que em janeiro de 2019 o nível de endividamento das famílias caiu para 49,9%. Em janeiro do ano passado o número era de 53,3%, segundo dados da PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor. Pesquisa Das oito atividades pesquisadas, quatro tiveram crescimento no volume de vendas, no acumulado do ano: supermercados, alimentos, bebidas e fumo (3,8%), artigos farmacêuticos, médicos e de perfumaria (5,9%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,6%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (0,1%). Os segmentos em queda foram combustíveis e lubrificantes (-5%), tecidos, vestuário e calçados (-1,6%), móveis e eletrodomésticos (-1,3%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-14,7%).  GIOVANA MOLINEIRO

Notícias relevantes: