Jundiaí

Comércios e serviços voltam a funcionar com adequações


RODRIGO CONSTANTINO
Crédito: Reprodução/Internet
A flexibilização da abertura de alguns serviços no comércio divulgada pela Prefeitura de Jundiaí na última sexta-feira (17) fez com que proprietários de lojas se readequassem para atender o público. Do atendimento individualizado ao reforço na higiene, os proprietários esperam um novo fôlego depois de muitos dias parados. Com a permissão, Rodrigo Constantino, de 33 anos, gerente de uma loja de automóveis seminovos, voltou a abrir as portas do estabelecimento logo pela manhã, mas disponibilizou álcool em gel e máscaras para os funcionários. “O atendimento está sendo feito apenas com horário agendado e uma família por vez”, justifica. O gerente conta que dos 15 funcionários que atendiam na loja, apenas quatro foram chamados ao trabalho. Os demais permanecem em férias. “Mesmo abrindo, a gente fica apreensivo. A moça já veio limpar aqui três vezes”, revela ele, temendo pela saúde. O cabeleireiro Pedro Prioli Filho, de 68 anos, voltou a atender sua clientela, mas também com horário marcado. “Estou tomando os cuidados exigidos, usando máscara, álcool em gel, lâmina descartável. Se chega alguém, eu oriento a voltar mais tarde”, conta ele. Mas, ao contrário de Pedro, que não paga aluguel, o barbeiro Waldecir Scolaro, de 58 anos, precisou negociar com o dono do imóvel onde trabalha. “Não paguei o aluguel inteiro. Eu falei que acertava o resto quando tivesse o dinheiro. Por uns três meses eu vou pagar metade, mas depois vai diluir o valor nos outros meses”, conta ele, esperando o movimento voltar. Aparecida Oliveira Maia, de 66 anos, é costureira e conta que ficou parada no início da pandemia, mas voltou a trabalhar para fabricar máscaras de pano, já que os próprios clientes pediram. “Eu acho que a reabertura vai ajudar, mas o cuidado tem que ser redobrado agora”, alerta. Sobre os impactos do coronavírus no comércio, ela acredita que a volta à normalidade ainda vai demorar um tempo. “Vai muito devagar, o pessoal não tá saindo”, conclui.

RETOMADA

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Edison Maltoni, a reabertura parcial do comércio já é uma melhora, porém reitera que continua o trabalho para que mais segmentos de comércio possam voltar a atender. Com a chegada do Dia das Mães, segunda data do ano de maior movimento no comércio, perdendo apenas para o Natal, os lojistas da cidade temem as baixas vendas. “Estamos incentivando os formatos de delivery e drive-thru. Sabemos que haverá demissões, mas precisamos de gente trabalhando, de gente recebendo para poder consumir”, diz. De acordo com o gestor da Casa Civil, Gustavo Maryssael de Campos, o objetivo da nota de esclarecimento, publicada ontem na imprensa oficial, foi sanar dúvidas quanto às informações a respeito do funcionamento do comércio. “As informações incluem horário de funcionamento e orientações para estabelecimentos comerciais de diversos gêneros, sempre de acordo com o Comitê Administrativo Extraordinário (CAE) e as disposições legais vigentes no Município”, explica. [caption id="attachment_88508" align="alignnone" width="800"] Waldecir Scolaro, barbeiro[/caption]   [caption id="attachment_88510" align="alignnone" width="800"] Rodrigo Constantino, gerente de revenda de veículos,[/caption]

Notícias relevantes: