Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Conheça as superstições de quem torce pelo Brasil na Copa

VINÍCIUS SCARTON - VSCARTON@JJ.COM.BR | 17/06/2018 | 05:03

A camisa da sorte, a figa na mão e o amuleto contra o azar são alguns dos recursos que muitos torcedores irão usar para acompanhar a estreia do Brasil na Copa do Mundo, logo mais às 15h diante da Suíça, na cidade de Rostov. Desta mesma forma o morador de Jundiaí, Leonardo da Silva Brito (30), vive a ansiedade e sonha com o hexa.

Segundo ele, a paixão pela seleção brasileira nasceu em 1994, quando tinha 6 anos de idade e pôde acompanhar o show de Romário e companhia na conquista do tetra, nos Estados Unidos. “Naquela Copa comecei a entender o futebol de fato, pois na partida entre Brasil e o anfitrião o lance da expulsão do Leonardo chamou minha atenção. Dali em diante, passei a sofrer pelo esporte e ter o hábito de acompanhar os jogos em pé”, comentou.

Embora esse primeiro sofrimento tenha sido marcante a vida do torcedor, ele destacou que o nervosismo foi aliviado quando Bebeto fez o gol da vitória do Brasil naquele confronto de oitavas de final. Outro momento curioso na vida de Leonardo ocorreu em 2002, quando o Brasil disputou a Copa do Japão e da Coreia do Sul. “Na semifinal entre Brasil e Alemanha (em 2014), fiquei muito nervoso e não conseguia parar dentro de casa para acompanhar o jogo. Como alternativa, levei o sofá e a TV para a calçada”, descreveu com bom humor.

LEIA TAMBÉM MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O ESPORTE

Para Leonardo tal iniciativa foi fundamental para a conquista do penta. “Quando fui para fora de casa consegui me acalmar e tenho certeza que isso ajudou o Brasil a ser campeão”, recordou.
Já no período mais crítico da história recente da seleção brasileira, quando tomou de 7 a 1 da Alemanha na Copa de 2014, Leonardo afirmou que, por incrível que pareça, conseguiu ficar tranquilo. “Eu senti que a seleção perderia naquele dia. Só não imaginava que seria de tanto. Naquela ocasião, nem assisti ao jogo em pé”, afirmou.

Outra superstição do torcedor é acompanhar a partida pela TV numa emissora. “Se o Brasil estiver vencendo eu continuo naquele canal, caso contrário troco na expectativa de virar o jogo”. Leonardo recordou, ainda, que por diversas vezes já chegou a ir embora da casa de familiares e amigos, pois a seleção estava perdendo. “Se precisar farei isso novamente”, confirmou.

Daqui a pouco, Leonardo estará na casa do sogro para acompanhar o jogo frente à Suíça e a camisa da sorte irá junto. “Tenho a camisa cinza do Brasil desde 2008. Ela é um verdadeiro talismã, que dará sorte na estreia, apostando na vitória por 2 a 0”, completou.

PSICÓLOGA

Questionada sobre a superstição dos torcedores, a psicóloga Luciane Rossi explicou que geralmente tal comportamento retrata o significado de insegurança, desejo de controle e um crédito em conseguir algo diante de um pensamento ou objeto.

“Esse comportamento diminui a ansiedade, a insegurança e a pessoa passa a acreditar que o que deseja dará certo. Mas isso só traz um alívio momentâneo, pois a pessoa deixa de saber lidar com as dificuldades da vida e deposita em uma ‘meia da sorte’ todas suas expectativas. Se der certo, acredita que foi a meia e, se não der, talvez porque não fez outra coisa”, comenta Luciane.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/conheca-as-supersticoes-de-quem-torce-pelo-brasil-na-copa/
Desenvolvido por CIJUN