Jundiaí

Cultivo familiar de jabuticaba garante abastecimento

JABUTICABA FLAVIO ANTONIO LEONE
Crédito: Reprodução/Internet
Apesar de não fazer parte da agricultura local, com poucos produtores com fins comerciais, a jabuticaba tem sido encontrada em algumas bancas de frutas na cidade, mas principalmente com destaque na agricultura familiar. Com venda direta para o consumidor os preços variam de R$15 a R$18 o quilo. Segundo o gestor da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo, Eduardo Alvarez, a produção orgânica do fruto estimula a diversidade ambiental. "Nas propriedades que aderem a essa técnica orgânica de cultivo, é possível observar uma maior variedade de produtos, inclusive a produção de frutas nativas como é o caso da jabuticaba. Aqui em Jundiaí é possível encontrar a fruta fresquinha, direto do produtor. As segundas-feiras no Jardim Samambaia, acontece a feira do produtor, uma opção para quem quer comprar os produtos direto de quem os cultiva", diz Alvarez. Para quem decidiu pela produção, reforça que a demora em dar o fruto é um dos incômodos. O técnico em agropecuária Flávio Antônio Leoni, de 59 anos, cultiva hortaliças, ervas aromáticas e outros produtos em sua horta orgânica, mas decidiu formar pequenos pomares de frutas variados, entre eles, a jabuticaba. “São pelo menos 20 anos para se ter a primeira colheita, então devido ao tempo elevado de produção do fruto, o interesse do agricultor para produção comercial é baixo e, por isso, temos poucos cultivadores locais. As árvores que temos em nosso pomar tem cerca de 40 anos. Elas foram plantadas pelos meus avós, então o nosso cultivo aqui é familiar", explica Leoni. Além disso, a fruta é muito frágil e após a colheita deve ser consumida em até dois dias. Após este período a fruta perde a qualidade e começa a deteriorar. Segundo o produtor, este ano, o clima não contribuiu muito para o desenvolvimento da fruta na cidade. "Geralmente a safra da jabuticaba começaria agora em agosto e se estenderia até os próximos meses, mas este ano, quase não tivemos chuvas e o clima está mais quente que o normal e, para se desenvolver e prolongar a safra, a jabuticabeira precisa do tempo frio. Por isso, a colheita adiantou e provavelmente não se estenderá muito", diz Leoni lembrando que entre a produção, destaque para tipo sabará. Além de serem vendidas pelos produtores direto para os consumidores, é possível encontrar a jabuticaba nas feiras livres, vendidas em bacias ou caixas, com preços únicos, mas isso depende de cada produtor.

Notícias relevantes: