Jundiaí

Decisão no Jayme Cintra anima jogadores finalistas da Série B


Leozinho Vila Comercial - 2711 - 02
Crédito: Reprodução/Internet
Disputar uma partida em um estádio profissional é uma sensação incrível para qualquer jogador. E uma decisão de campeonato, com a chance de erguer o troféu, mais ainda. Amanhã (1º), às 9h30, o Jayme Cintra recebe o segundo jogo da decisão da Série B do Campeonato Amador entre Império Vila Ana e Vila Comercial. Atletas dos dois times estão ansiosos em jogar no tradicional. “Representa a minha volta depois de muito tempo a um estádio depois que o futebol se tornou apenas um hobby em minha vida”, comentou Buiuzão, zagueiro e volante do Império. Ele jogou por Atibaia, Velo Clube e Força, de Caieiras, na carreira como profissional. “O Jayme Cintra é um local de muita tradição e jogos importantes no futebol brasileiro e, poder colocar os pés e sentir isso de dentro das quatro linhas, é muito gratificante”, conta Léo Rocha, meio-campo do Vila Comercial. Companheiro de Buiuzão na zaga, Alex esperar entrar na história do clube da Vila Ana. “Quero entrar para história com a família chamada Império. E também poder contar para os filhos e netos que joguei no Jayme Cintra é muito especial e inenarrável”, disse. Para Boda, defensor do Vila Comercial representa uma grande satisfação jogar no Jayme Cintra. “Como todo moleque, queria ser jogador de futebol profissional, mas sou realizado em jogar no Amador. E a gente está recebendo isso como gratidão pelo trabalho que realizamos”. Situação Vencedor no primeiro jogo pelo placar de 1 a 0, o Império se sagra campeão até com derrota simples. Vitória do Comercial por um gol de diferença ainda garante o título ao clube da Vila Ana por ter melhor campanha. O Vila precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão. Boda, do Vila Comercial, espera que seu time possa se divertir neste segundo jogo. “Todos somos amigos aqui e espero que a gente consiga jogar futebol, independentemente do que ocorra.” Alex espera que o Império mantenha a mesma postura que teve nas outras partidas. “Demos um grande passo no primeiro jogo, mas ainda faltam 80 minutos, e temos que lutar, correr e não medir esforços até o apito final”, contou.

Notícias relevantes: