Jundiaí

Defensoria denuncia ausência de equipe de saúde no CDP de Jundiaí


2014-10-06_21-25-41_1
Crédito: Reprodução/Internet

A Defensoria Pública de São Paulo ajuizou, no último dia 29 de setembro, uma ação civil pública solicitando que o governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de Jundiaí disponibilizem equipes de saúde e medicamentos necessários para o atendimento dos presos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí.

Funcionando 80% acima da sua capacidade, o CDP de Jundiaí abriga hoje 1.547 detentos, sendo que a capacidade máxima da unidade é para 847 pessoas. Os números, divulgados pela Defensoria, retratam o quadro de superlotação da unidade.

“Hoje, a principal reclamação dentro do CDP é a falta de atendimento médico e os problemas de saúde ocasionados pelas condições precárias da instituição”, afirma Patrick Caciedo, um dos quatro defensores responsável pela ação civil.

Por nota, a Prefeitura de Jundiaí informa que não foi comunicada sobre a ação civil. Até o fechamento desta edição, a Secretaria da Administração Penitenciária não expôs se já tem conhecimento sobre a ação movida pela Defensoria.

Mais informações na edição impressa do Jornal de Jundiaí desta terça-feira (07) ou faça uma assinatura digital.


Notícias relevantes: