Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Defensoria Pública vai investigar denúncia de atendimento às mulheres na DDM

GUSTAVO AMORIM - gamorim@jj.com.br | 13/03/2018 | 12:00

A Defensoria Pública do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Jundiaí, vai investigar a denúncia feita pelo Jornal de Jundiaí a respeito do atendimento feito pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) às cidadãs vítimas de violência por gênero na cidade. Segundo Fábio Sorge, coordenador da unidade, um levantamento será realizado pelo órgão junto às pessoas que já passaram pela defensoria. “Vamos procurar essas mulheres e fazer uma coleta mais profunda, uma investigação mais detalhada. Vamos refazer as entrevistas com as vítimas e, se constatarmos de fato esse problema do atendimento, representaremos contra a delegada responsável”, afirmou o defensor público.

Foto: Rui Carlos/Jornal de Jundiaí

Foto: Rui Carlos/Jornal de Jundiaí

A reportagem entrou em contato com a OAB-Jundiaí, que ainda não decidiu quais serão os próximos passos tomados pela instituição. Segundo o presidente Airton Bressan, o assunto seria debatido na noite de segunda-feira (12) em reunião de diretoria do órgão, que não havia se encerrado até o fechamento desta edição. Nanci Romanatto, presidente da Comissão da Mulher da OAB-Jundiaí, afirmou que uma reunião da comissão será feita nos próximos dias também para discutir mais a fundo a questão. O Ministério Público de São Paulo foi procurado pela reportagem do Jornal de Jundiaí para comentar o assunto, mas a assessoria de imprensa do órgão afirmou que os promotores não concederiam entrevista na segunda-feira (12).

A DENÚNCIA

No domingo (11), o Jornal de Jundiaí publicou matéria (CLIQUE AQUI PARA ACESSAR) na qual mostrava reclamações de vítimas sobre a forma falha na qual a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí faz o atendimento. Um relatório da OAB-Jundiaí obtido com exclusividade pela reportagem confirma as denúncias. A Defensoria Pública confirmou que 27 mulheres procuraram o órgão para conseguir medidas protetivas antes negadas pela DDM. Presidente da Comissão da Mulher da OAB-Jundiaí, Nanci Romanatto destacou que “há, na delegacia, um juízo de valor de quem deve ou não receber proteção”. A reportagem também mostrou que, em média, 10 boletins de ocorrências são registrados nas delegacias da cidade por dia, em casos que envolvem vítimas de qualquer tipo de violência contra a mulher, desde tentativas e consumação de assédio, ameaça, lesão corporal, homicídio, estupro, injúria real, entre outros. No total, a reportagem do JJ analisou mais de 10 mil B.Os registrados entre janeiro de 2015 e dezembro de 2017 em Jundiaí. Apenas de estupros, por exemplo, são 64 casos na cidade – 44 de vulneráveis – em 2016. Em 2017, foram 75 casos – 49 de vulneráveis.


Originalmente publicado às 04h29 de 13/03/2018
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/defensoria-publica-vai-investigar-denuncia-de-atendimento-as-mulheres-na-ddm/
Desenvolvido por CIJUN