Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Dia Mundial do Rock: em Jundiaí, o estilo continua vivo

ANGELO AUGUSTO | 13/07/2019 | 05:00

O Dia Mundial do Rock, comemorado todo dia 13 de julho, foi criado no ano de 1985 durante o Live Aid, um dos maiores eventos musicais de todos os tempos, idealizado por Bob Geldof, e que teve como objetivo arrecadar fundos para combater a fome no continente africano.

A celebração é uma referência a um desejo expressado por Phil Collins, participante do evento, que gostaria que aquele dia (13 de julho) fosse considerado o “dia mundial do rock”. O evento também ficou conhecido por contar com grandes artistas do gênero, como Queen, Mick Jagger, Keith Richards, Ronnie Wood, Elton John, Paul McCartney, David Bowie, U2 e etc.

Glauco Chaves, hoje dono de uma rádio web e de uma marca de cervejas artesanais, ambas voltadas ao rock and roll, é músico jundiaiense a muito tempo, tendo tocado por mais de uma década com a banda Viúva Negra. “O primeiro disco da banda, de 1999 chamado Gabaju Records, contou com a presença do Clemente (Inocentes), Marcelo Nova (Camisa de Vênus) e do Paulão (Velhas Virgens). Mas hoje em dia o projeto está parado e eu sigo apenas com duas bandas de covers”.

O músico e mestre cervejeiro conta que a ideia de criar uma rádio surgiu quando a banda procurava lugares para tocar suas músicas novas, mas não encontrava. “Nenhuma rádio queria tocar nosso disco, então nós criamos nossa própria rádio para tocar nossas músicas”, conta aos risos. A rádio continua até hoje, de maneira online, 24 horas por dia.

Ao contrário de Glauco, Lexi Souza, que é baterista, tem se mantido “na ativa” na cena jundiaiense com a banda autoral Inluzt. “É um trabalho de muito tempo. São quase cinco anos de banda e agora é estamos colhendo os primeiros frutos. É uma vida muito sofrida e batalhadora, mas começa a dar certo quando você trabalha da maneira correta.”

Lexi, que tem um estilo de se vestir inspirado nos anos 80 e como influência bandas de Los Angeles como o Motley Crue e o Guns’n Roses, conta que o cenário de Jundiaí continua se mantendo, mas que as bandas precisam “ralar” muito para chegar ao sucesso desejado. “Nós estamos vivenciando uma nova safra muito bacana no cenário da cidade. Mas é uma batalha muito grande: cada passo que a gente dá, que a gente consegue alguma coisa nova legal é visto como uma baita conquista”.

O baterista recebeu recentemente o convite para fazer parte de outra banda, a Kiara Rocks, que inclusive já tocou no palco do Rock in Rio.

No auge dos anos 80 e 90 Jundiaí viveu um “boom” de bandas locais. Algumas revistas americanas apelidaram a cidade de “Seattle do Brasil” e o nome foi adotado pelos fãs e músicos jundiaienses.

No Brasil, o Dia Mundial do Rock começou a ser celebrado em meados dos anos 1990, quando duas rádios paulistanas dedicadas ao rock – 89 FM e 97 FM – começaram a mencionar a data em sua programação.

Lexi Souza, baterista das bandas Inluzt e Kiara Rocks, e vendedor de instrumentos musicais nas horas vagas

“Estamos vivenciando uma nova safra bacana no cenário da cidade”, diz Glauco


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/dia-mundial-do-rock-em-jundiai-o-estilo-continua-vivo/
Desenvolvido por CIJUN