Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Dona Olympia, aos 94 anos, no pique e no repique do samba

SIMONE DE OLIVEIRA | 10/02/2019 | 07:30

Conhecida como a senhora que samba até o fim da festa, dona Olympia Henriqueta Marquezine, de 94 anos, é hoje referência quando o assunto é fôlego para acompanhar a batida da bateria. E não é o Alzheimer, doença adquirida há pouco mais de três anos, que faz com que ela perca um dia sequer de ensaio de sua escola de samba, a Acadêmicos do Arco-Íris, uma das mais antigas agremiações de Jundiaí.

Sempre sorridente e vaidosa, ela começou a frequentar os barracões há pelo menos 10 anos. Natural do Rio de Janeiro, ela veio morar em Jundiaí há quatro anos, depois que ficou viúva e, acompanhada de sua filha, Maria Aparecida Miranda, ela viu na dança e na música uma maneira de se divertir e, claro, divertir as pessoas que estão a sua volta, porque a alegria é contagiante. “A minha mãe é uma pessoa alegre e gosta de se divertir. Quando ela chega na quadra ninguém a segura. E o mais legal que ela gosta de ir no meio da bateria e ainda chamar as pessoas para dançar”, conta Maria.

Participando da ala da ‘velha guarda’ da Arco-Íris, dona Olympia sai no carro exclusivo para as senhoras mais velhas da escola, mas por ela, se pudesse, ficaria ali mesmo sambando pela avenida. “Eu gosto de ser feliz.”

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social e interferindo no comportamento e na personalidade da pessoa. De início, o paciente começa a perder sua memória mais recente.

Por conta da doença, todos a sua volta têm o maior cuidado com o bem-estar desta senhora que virou referência de alegria e vivacidade. E este ano não será diferente. Com sua calça branca, a camisa da escola e muitos acessórios, ela promete mais uma vez fazer a diferença no passarela do samba. “É uma satisfação ver que todos a respeitam e gostam de tê-la por perto. É uma alegria intensa porque minha mãe fica feliz quando está no meio do samba”, diz Maria.

Até o desfile, que este ano acontece dias 2 e 5 de março, os ensaios acontecem de quarta e domingo.

Nas mídias sociais
Além de ser famosa nos barracões, dona Olympia também faz a diferença nas mídias sociais. Com vídeos feitos por sua filha no youtube, com os mais diferentes temas, ela consegue ter atenção de milhares de pessoas. Com sua própria conta no instagram, o vozinha_olympia também tem seguidores fiéis. “Ela gosta de se ver no vídeo e em foto e isto é importante para deixar a mente sempre ativa’, diz a filha com orgulho.

T_RC1836889_Easy-Resize.com


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/dona-olympia-aos-94-anos-no-pique-e-no-repique-do-samba/
Desenvolvido por CIJUN