Jundiaí

Efeitos da ‘Primavera’ já são percebidos na saúde

AM52588870002_Easy-Resize.com_Easy-Resize.com
Crédito: Reprodução/Internet
A Primavera chega apenas na próxima segunda-feira (23), mas as doenças típicas da época, como, por exemplo, as rinites e conjuntivites já começam a aparecer com mais frequência e o reflexo disto é o número de atendimentos nos hospitais, principalmente no setor infantil. Só no Hospital Universitário (HU) o aumento foi de 18% de um mês para outro. Em agosto foram 5457 atendimentos contra 4617 em julho. Segundo a pediatra do HU, Mônica Franco de Oliveira, o tempo seco e a baixa umidade do ar acumulam poluentes que deixam o ar mais denso e a dificuldade em respirar é evidente. Com idosos e bebês a situação se torna mais crítica por conta da sensibilidade na respiração de ambos. Casos de catapora, sarampo, caxumba e rubéola nessa época aparecem com frequência. “Doenças crônicas, como bronquite e asma, se tornam mais comuns neste período. Por isso, a hidratação é importante, não só do corpo, mas também do ambiente”, reforça a pediatra. Nesta época do ano, o pólen se desprende das flores e fica pelo ar, facilitando que as pessoas entrem em contato com ele, o que pode causar irritações nos olhos. É uma época também de aparecimento de conjuntivite, as não-alérgicas e depois as virais. “Como os olhos ficam muito secos, não só por conta da poluição, mas também da falta de hidratação, é comum as pessoas começarem a sentir muita coceira, por isso, é importante lavá-los com frequência, inclusive com soro, para deixar limpo e hidratado”, aconselha a médica. CUIDADOS Antes de chegar aos corredores dos hospitais, algumas práticas dentro de casa devem ser feitas para deixar o ambiente mais limpo e hidratado. Segundo Mônica Franco, quando se tem um paciente alérgico é preciso manter o ambiente limpo. Varrer a casa, tirar as cortina e passar panos úmidos fazem toda a diferença. “Colocar uma bacia de água no quarto, por exemplo, ajuda a hidratar o ambiente. Mas é preciso lembrar que, ao sair de casa nos dias quentes, o protetor solar, o boné e o chapéu devem ser usados”, orienta. [caption id="attachment_67867" align="aligncenter" width="1280"] A pediatra Mônica Franco de Oliveira diz que o tempo seco e a baixa umidade do ar deixam o ar mais denso[/caption]

Notícias relevantes: