Jundiaí

Em 2019, 38,6% dos acidentes envolveram motos

ACIDENTE DE MOTO BRUMARIE AVENINO DE SANTANA
Crédito: Reprodução/Internet
O ano de 2020 começou com altos índices de acidentes no trânsito. O mais recente computado aconteceu na manhã de ontem (3) na avenida União dos Ferroviários envolvendo um carro e uma moto. O motociclista foi socorrido e encaminhado ao Hospital São Vicente, mas apesar da gravidade, ele foi atendido e liberado. Este foi um dos casos registrados só este ano. Em janeiro, dezenas de acidentes aconteceram em diversas ruas e rodovias do entorno, com pelo menos duas mortes. Ainda não há dados registrados pelo Sistema de Informações de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga) para janeiro, mas de acordo com o relatório de 2019, entre os 985 acidentes com vítima no sistema viário municipal do ano anterior, 380 envolveram motos, o que corresponde a 38,6% das ocorrências. Ainda de acordo com o levantamento, a maioria dos acidentes acontece durante o período da manhã e tem majoritariamente como vítima jovens entre 18 e 24 anos. De acordo com o Hospital São Vicente, entre janeiro e março de 2019 foram 130 atendimentos envolvendo motociclistas. O número é 23,8% maior em relação ao mesmo período de 2018, ano em que foram computados 105 atendimentos no primeiro trimestre. O motivo das ocorrências variam, mas normalmente se devem a queda, colisão com carros, caminhões, ônibus, bicicletas, ou mesmo com outras motos. Não há dados computados este ano. A auxiliar administrativa Brumerie Santana, de 31 anos, entra na estatística de ocorrências. Em dezembro do ano passado ela sofreu um acidente e até hoje lida com as sequelas. "O acidente foi dia 28 de dezembro, no período da manhã. Eu estava na rodovia Geraldo Dias e um carro freou. Tentei desviar, mas não consegui e batemos lateral com lateral", relembra, contando que foi encaminhada ao HSV. E completa. "Cheguei ao hospital com uma fratura exposta. Quebrei a tíbia, esfolei o seio e machuquei minha a mão. Tive que passar por duas cirurgias, mas de imediato colocaram em mim um fixador, e no dia 10 de janeiro eles colocaram a haste, completa Brumerie, que segue afastada do trabalho por conta do acidente. Outra vítima da violência do trânsito é uma assistente comercial de 28 anos que preferiu não se identificar. Ela conta que estava a caminho do trabalho quando recebeu uma freada de outra motorista. “Ela (a outra motorista) não freou e bateu no meio da minha moto", afirma a jovem que teve o fêmur quebrado. Acidentes diferentes, mas que possuem uma característica em comum: a imprudência do motorista. Ambas as entrevistadas garantem que seus acidentes não se deram por falta de sinalização nas vias, mas sim devido à falta de atenção dos condutores envolvidos. “No caso do meu acidente, havia polícia no local, e mesmo assim os motoristas estavam trafegando em alta velocidade, desrespeitando o trânsito e até mesmo batendo nos cones", afirma Brumerie. CONSCIENTIZAÇÃO A Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente afirma que ao longo do ano são realizadas diversas campanhas de conscientização, como o Maio Amarelo, que promove diálogos sobre segurança no volante e a própria Semana do Trânsito, que tem o intuito de reduzir o número de acidentes.

Notícias relevantes: