Jundiaí

Em Jundiaí, 61 crianças fizeram exame RT-PCR

T_crianca
Crédito: Reprodução/Internet
Desde o final de julho, 61 crianças e adolescentes, entre dois e 17 anos, fizeram o exame RT-PCR, que consiste na coleta de amostras da nasofaringe e orofaringe através de swabs (cotonetes) para a análise. De acordo com o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), a testagem é feita em crianças com sintomas gripais que possam indicar infecção de covid-19. A inserção do grupo, até então não prioritário, foi determinada pelo CEC da Prefeitura de Jundiaí, para a ampliação na identificação dos casos de covid-19 e intensificação do monitoramento da pandemia no município. O trabalho é realizado por meio de convênio com a Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (AFIP), laboratório prestador de serviços à Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS). Diariamente, segundo a unidade, são ofertadas 48 coletas para análise. A coleta é realizada nas Unidades Sentinelas ou no Hospital Universitário (HU) e para realizar o exame. Segundo adianta a diretora de Regulação da UGPS, Fabiana Barrete de Alcântara, os casos são monitorados pelas equipes da Saúde de Jundiaí, não somente para verificar a evolução do quadro, como para ressaltar a importância do isolamento do paciente para evitar a transmissão para mais membros da família. “Até o momento existem poucos registros de casos graves em crianças, no entanto, existe o alto risco da transmissão para os demais integrantes da família, principalmente para os idosos, que fazem parte do grupo de risco ou pessoas que possuam comorbidades", explica. AMPLA TESTAGEM Desde o início dos trabalhos, na segunda quinzena de abril, a cidade já testou sintomáticos, assintomáticos a partir do Inquérito Epidemiológico, crianças e gestantes e agora, com o sistema RT-PCR, todas as pessoas que estiverem com sintomas que possam indicar infecção por covid-19 e estejam entre o terceiro e o sétimo dia de sintomatologia terão o material colhido para a identificação da existência do vírus Sars-CoV-2 no organismo. MONITORAMENTO Ao lado do trabalho de testagem, também é realizado o telemonitoramento dos casos com o objetivo de acompanhar a evolução do quadro. Assim, caso o paciente apresente algum sinal de agravamento, ele poderá rapidamente ser encaminhado aos serviços para que receba o tratamento adequado. Este serviço é realizado pelos técnicos da Saúde e também possui o intuito de reforçar a necessidade do isolamento de toda a família do caso identificado por pelo menos 14 dias como medida de bloqueio da transmissão do vírus.conforme o protocolo estabelecido pelos técnicos da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), a testagem será realizada para aqueles que apresentarem ao menos dois sintomas característicos como gripal (febre aferida ou relata, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos e gustativos).  

Notícias relevantes: