Jundiaí

Escolas se adaptam ao novo currículo do Ensino Médio

T_WhatsApp Image 2020-08-03 at 14.05.13 (1)
Crédito: Reprodução/Internet
O novo currículo do Ensino Médio, aprovado pelo Conselho Estadual da Educação de São Paulo, terá 12 opções de cursos que permitem aos jovens escolher as matérias com as quais mais se identificam. A implementação na rede pública e privada começa no próximo ano. São Paulo é o primeiro estado do Brasil a construir o documento que agora segue para homologação do secretário da Educação Rossieli Soares. O currículo está alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, homologada pelo próprio secretário, enquanto ocupou o cargo de ministro da Educação, em dezembro de 2018. Em Jundiaí, as escolas particulares já se estruturam para aderir à nova normativa. O trabalho e estudo sobre as modificações vêm sendo pensados há pelo menos dois anos no Colégio Ser. O coordenador pedagógico Rafael Pellizzer, de 36 anos, relata que foram muitas pesquisas para saber qual seria o melhor modelo a ser implantado. "Começamos a pensar e pesquisar as modificações há pelo menos três anos, quando houve a homologação do BNCC do Ensino Fundamental, porém no Médio não havia alterações. Então visitamos muitas escolas, inclusive as de São Paulo, e começamos a engajar os nossos professores, aproveitando a formação e a habilidades de cada um para compor a nova grade de aulas. Depois começamos a apresentar essa ideia aos alunos e aos pais, por meio de pesquisas e conversas, e no começo deste ano inserimos esse novo modelo em nosso colégio", explica Pellizzer. Pela lei de 2017, o novo currículo deve oferecer pelo menos cinco itinerários formativos, sendo das áreas de ciências humanas e sociais, ciências da natureza, matemática e suas tecnologias, linguagem e código e formação profissionalizante. Cada escola estabelece quais disciplinas irá ofertar de acordo com estes cinco eixos sem deixar de aplicar o eixo comum, que seriam as matérias que devem compor por obrigatoriedade a grade do ensino médio. ADAPTAÇÕES Pellizzer completa dizendo que a mudança não estenderá os horários das aulas, o modelo seguirá no convencional, com sete aulas diárias, sendo seis do eixo comum e uma de itinerário formativo. "Com este novo modelo de personalização do ensino, cada aluno consegue fazer seu caminho paralelo ao que é obrigatório e se especializar naquilo que tem vontade. Devido à pandemia, algumas práticas foram remanejadas para atender as necessidades do ensino on-line. Nós temos 28 opções de cursos e os alunos devem escolher cinco delas, sendo estudada uma matéria por dia ao longo da semana", completa ele. O Colégio Divino Salvador também está se programando para alinhar a mudança. Segundo o coordenador pedagógico do Ensino Médio da instituição, Rodrigo Lopes de Oliveira, de 47 anos, a implantação acontece no próximo ano. "Já estávamos alinhando essa mudança e fazendo reuniões com os pais e com os alunos do 9º ano do Fundamental antes mesmo da pandemia, mas agora estamos seguindo com os ajustes para já no ano que vem ofertamos esse novo modelo na modalidade presencial para nossos alunos que irão iniciar o ensino médio. Manteremos o horário convencional das aulas adaptando a carga horária em 60% para a base comum e 40% para as aulas de itinerário formativo", explica Oliveira. A previsão é de que o currículo em todo o estado de São Paulo seja implementado progressivamente aos alunos da 1º série do Ensino Médio em 2021. Em 2022, para os estudantes da 2º série e, consequentemente, para a 3ª série no ano de 2023, finalizando a inclusão de todas as escolas a esta nova modalidade de ensino.

Notícias relevantes: