Jundiaí

Esportes náuticos são preferidos no Peama


PEAMA PARQUE DA CIDADE CAIAQUE
Crédito: Reprodução/Internet
Há mais de 23 anos trazendo inclusão social de forma democrática para Jundiaí através do esporte, o projeto Peama Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas  se inova e cada ano. Além dos esportes tradicionais com bola, natação, dança e ginástica, as modalidades náuticas que são praticadas no Parque da Cidade vêm fazendo sucesso com os alunos. Douglas Barbosa de 22 anos descobriu a prática do stand-up e do caiaque através do programa, e desde que iniciou, não parou mais. "Eu gosto muito de stand-up, faço muitas outras aulas no Bolão, como natação, atletismo, caratê, danças, mas o que mais gosto é o stand-up, nunca vou parar de praticá-lo”, revelou o jovem. O professor de educação física, Renato Silva, de 48 anos, já trabalha na parte dos esportes náuticos do Peama há 3 anos e explica que, antes de trabalhar no projeto, treinou atletas de alta performance com a intenção de conquistar grandes resultados em competições, mas devido à identificação com a atividade física adaptada, quando recebeu o convite para trabalhar no projeto, não pensou duas vezes. “O projeto é fundamental para a gente fazer um trabalho específico com as pessoas com deficiência, pois conseguimos ajudar a diminuir o déficit que eles têm, seja ele intelectual, auditivo, visual ou físico. A prática dos esportes ajuda a elevar a autoestima, confiança e também trabalhar o nosso principal objetivo que é melhorar a autonomia de todos eles”, explicou Renato. Além de desenvolver o aluno, o treinador explica que, para ele, lidar todos os dias com os deficientes é algo inspirador e que lhe faz muito bem. “Pra mim, é bastante gratificante, um trabalho nobre e também um desafio. Eu acredito que todos temos um potencial, e só basta saber desenvolver, independentemente da debilitação de cada um. Temos que olhar o próximo com os mesmo olhos. Não é porque são deficientes que são diferentes da gente. Eles têm os mesmos potenciais, só basta a gente desenvolvê-los, respeitando o tempo e adequando a atividade a necessidade deles, da mesma forma que fazemos com as pessoas que não possuem nenhum tipo de deficiência." O treinador afirma que é importante que o esporte se aproxime da sociedade levantando a questão da igualdade, de direito, valores e respeito. Os grupos de esportes náuticos são assistidos pelos educadores físicos César Munir, Renato Silva, Tadashi Torikai, seus estagiários Gabriel e Sérgio, e os voluntários, Diogo, Fábio e Thais. Além do stand-up e do caiaque os alunos também praticam barco a vela. As atividades ocorrem todas as quinta-feiras. Ao todo são 24 alunos divididos em 4 grupos, duas turmas de seis alunos na parte da manhã e duas turmas de seis alunos a tarde. Idealizado e implantado em 1996, o Peama, da Unidade de Gestão de Esportes da Prefeitura de Jundiaí, tem como objetivo principal democratizar o acesso às atividades esportivas, e assim incluir pessoas com deficiência utilizando o esporte como ferramenta. Atualmente atende 317 alunos, e por lá já passaram aproximadamente 1.400 pessoas com deficiência.

Notícias relevantes: