Jundiaí

Falta de chuva prejudica safra de uva e o preço deve ser alto


PLANTACAO DE UVA ADEMIR DONIZETI MINJONI
Crédito: Reprodução/Internet
A falta de chuvas na região tem provocado dor de cabeça aos produtores de uva. Com o atraso na chegada do período chuvoso, a lavoura já sofre com o desenvolvimento da fruta. A poda dos galhos, geralmente feita em junho nos parreirais, também sofreu as consequências do frio. A temperatura no inverno ficou abaixo do esperado para os produtores, que já adiantam que a produção vai sofrer com menos oferta do produto em Jundiaí. Quem se precaveu para não perder a produção não sente os impactos de forma mais acentuada. O agricultor Ademir Minjoni investiu R$ 70 mil em telas de cobertura para as parreiras. Por isso, não perdeu nada por causa da chuva de granizo. Ele espera vender nesta safra cerca de 6 mil caixas, mesmo número da safra passada. “Mas o preço não vai ser igual ao de 2019. Teve produtor que perdeu quase 70% da produção. Alguns tiveram que plantar outras frutas para pagar as contas, salienta”. A Prefeitura de Jundiaí, por meio de nota, informou que ainda não há estimativa da queda da safra. Segundo a diretora do Departamento de Agronegócios da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo de Jundiaí, Isabel Harder, “com a falta de chuvas, os cachos de uva devem ficar menores, porém as uvas ficam mais doces”. Os grãos ficam menores devido à falta de água. O irmão dele, também produtor, Claudemir Minjoni, já conta os prejuízos de uma chuva de granizo na região do Caxambu. Ele teve que acionar o seguro da plantação para não encerrar a produção em baixa. “Não bastasse não ter chovido, quando veio, foi de pedra”. De oito lotes, Minjoni teve prejuízo em três deles. “Em um deles, perdi metade da produção, Em outro, mais de 40%, e, no último, aproximadamente 30% do total”, contabiliza. O agricultor investiu R$ 12 mil no valor total do seguro. A seguradora é responsável por cobrir os custos do prejuízo em casos de desastres naturais. UVA EM JUNDIAÍ Apesar de um crescimento habitacional urbano visível nos últimos anos, 52% do território de Jundiaí é considerado agrícola. Atualmente, a cidade possui 1.535 propriedades ag´rícolas. Cerca de 30% da produção de uva do estado de São Paulo provém de Jundiaí. São mais de 500 produtores e 10 milhões de pés de uva. Em 2014, data do último dado de estimativas disponível no site do Conselho Municipal de Turismo (Contur), seriam comercializadas 27.651 toneladas da fruta no município. FESTA DA UVA A 37ª edição da Festa da Uva de Jundiaí será entre os dias 16 e 19, 24 e 26 de janeiro e ainda no dia 31. Já em fevereiro, será nos dias 1 e 2. A entrada será gratuita, com ação solidária com a doação de 1 quilo de alimento não perecível. A primeira Festa da Uva de Jundiaí foi em 1934 no Centro, utilizando-se das ruas no entorno do antigo Mercado Municipal e do grupo escolar Conde do Parnaíba. [caption id="attachment_72403" align="aligncenter" width="800"] PLANTACAO DE UVA
ADEMIR DONIZETI MINJONI[/caption]

Notícias relevantes: