Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Festa junina como antigamente

| 14/06/2014 | 23:00

Magali Georgina Ignácio tem 79 anos, mas sua animação no salão do Lar Nossa Senhora das Graças, no Anhangabaú, em Jundiaí, era de uma jovem menina. Vestida à caráter, Magali se juntou às demais moradoras da instituição e aproveitaram a festa junina que animou a tarde deste sábado (14).

“Desde que cheguei ao Lar participo de todas as festas. O importante é a cabeça e a minha me diz que devo comemorar porque estou viva”, declarou a animada senhora. A festa, que contou com o apoio de aproximadamente 40 voluntários do Grupo Coruja e do Colégio São Vicente de Paulo, foi completa: teve pipoca, cachorro quente, quentão, vinho quente, pães caseiros, doces, música e muita diversão.

Segundo a assistente social do Lar, Laiza Evelin Costa Bissoli, o evento já é uma tradição e permite abrir a entidade para a comunidade, além de promover o fortalecimento do vínculo entre familiares e assistidos. “Durante esta festa, os parentes que podem aproveitam para estar com os nossos assistidos, que sofreram, na maioria das vezes, violação de direito (carência social ou econômica, maus-tratos e abandono). 

Participaram da festa, além do pessoal do Lar Nossa Senhora das Graças, idosos da Cidade Vicentina Frederico Ozanam, Grupo da 3ª Idade de Perus e moradores do próprio bairro do Anhangabaú. De acordo com estimativa de Laiza, a festa recebeu quase 500 pessoas para o arraiá.

O melhor da festa – Se o objetivo de quem organizou a festa foi, mais uma vez, dar uma oportunidade de os idosos assistidos se socializarem, o propósito foi cumprido. Para Orlando dos Santos Pinto, 78 anos, a festa serviu para se divertir. 

Mesmo em uma cadeira de rodas, este paulistano que diz adorar música eletrônica disputou com Magali o título do mais animado do salão. “Desde que era jovem sempre gostei de festa junina. Se tenho a oportunidade de estar aqui, por que não aproveitar?”

Com um chapéu de palha e os olhos brilhando, seu Orlando nem pestanejou para responder do que mais estava gostando na festa. “As meninas. Estão todas lindas de caipirinhas. Deram um colorido a mais para esta festa”, declarou. Mas nem dona Magali, nem seu Orlando. Foi Sebastiana Franco, de 79 anos, quem ficou com o título demais animada da festa. 

O motivo talvez esteja no fato de ter sido o primeiro arraial de que participou na vida. “Quando eu era mocinha, meus pais não me deixavam sair de casa, muito menos permitia que fosse à festa. Hoje, estou tirando o atraso. Quero dançar até a música parar. Como estou em casa mesmo, serei a última a deixar o salão.”  


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/festa-junina-como-antigamente/
Desenvolvido por CIJUN