Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Fisiologia explica disposição para exercícios

Thiago Avallone | 23/10/2019 | 06:30

Com a chegada do calor, é evidente o aumento do número de pessoas que saem às ruas para fazer exercícios físicos, correr, jogar futebol, vôlei, entre outros esportes. Mas por que será que isso acontece? A doutora em Educação Física e vice diretora da Escola Superior de Educação Física (Esef) de Jundiaí, Betina Reid ,explica que, diferentemente do que muitos imaginam, isso ocorre por uma questão fisiológica e não apenas porque as pessoas querem ficar mais magras, bonitas e saudáveis para o verão.

“Esse processo faz parte do comportamento humano. Quando está frio, o corpo manda mensagem para o cérebro para que poupe energia, pois nessas condições climáticas as necessidades fisiológicas são maiores do que quando está quente. Sendo assim, o corpo passa a querer gastar menos energia para garantir que fique bem, o que também justifica o fato de comermos mais, para estocar mais calorias”, disse a doutora.

Por tanto, quando está frio, é natural que as pessoas não tenham tanta disposição para fazer exercícios físicos. Já, com a chegada do calor, isso muda. “No calor, o próprio corpo fica mais disposto. As pessoas passam a fazer mais exercícios físicos e começam a liberar hormônios do prazer e bem-estar,como a endorfina. Esse hormônio faz com que as pessoas queiram praticar ainda mais exercícios e também provoca bem estar psicológico”, conclui Betina.

O preparador físico Rodolfo Sibires explica que, além da questão natural do corpo humano, o brasileiro também se importa muito com a questão estética, ou seja, está preocupado com a imagem e quer o resultado de forma imediata para demonstrar durante todo o período do verão. Fator que ajuda a encher as academias, praças e pistas de corrida da cidade. “Chega essa época do ano, as pessoas querem começar a fazer exercício, para compensar o que não fizeram nos meses anteriores. Desejam ficar com uma boa aparência para o verão. A maioria das pessoas acredita em resultado a curto prazo e milagroso”, explica Sibires.

De acordo com o preparador físico, esse fenômeno é cultural do brasileiro. Todos os anos a mesma história se repete. “Conforme o verão se aproxima, as pessoas buscam estar mas fitness.”

Cuidados com a saúde
O também preparador físico Guilherme Genovez explica que, com o aumento da temperatura, até mesmo o exercício ‘fácil’ se torna um enorme esforço. Se o sistema de regulação da temperatura do corpo estiver sobrecarregado, a pessoa corre o risco de desenvolver doenças relacionadas ao calor, como infarto, derrame, males respiratórios e problemas renais.

Genovez ensina que fazer exercício em clima quente aumenta a temperatura corporal, por tanto é preciso mais atenção. “Seu corpo se refresca com a evaporação do suor, mas resfriar é mais difícil em climas secos, porque a transpiração não evapora tão rapidamente da pele. Seu batimento cardíaco aumenta à medida que o corpo trabalha duro para se refrescar”, disse.

De acordo com o profissional, é importante confirmar como estará o tempo antes mesmo de fazer uma atividade física. “Se a temperatura estiver alta e a umidade baixa, você precisa se hidratar com água e sais minerais com maior frequência, e tomar um pouco mais de cuidado. Um treino que parece fácil em um dia temperado pode ser perigosamente intenso em uma tarde quente e seca. Respeite seu corpo e suas próprias limitações. Idosos, crianças e pessoas que não estão acostumadas a exercícios devem ser mais cautelosos em dias quentes.”.

O jovem Henrique Martins, de 23 anos, faz exercício todos os dias e conta que, nos mais quentes, cogita fazer algo em casa ou em um ambiente fechado, para evitar o cansaço extremo e outros problemas de saúde.

“Antigamente eu gostava de correr na rua, fazer exercício ao ar livre, mas devido ao calor intenso, eu tenho escolhido ficar dentro de alguma academia ou até mesmo na minha casa”, afirma.

De acordo com os profissionais do esporte, ao se exercitar no calor, é importante você saber o que vestir. Roupas de cor clara e que absorvem o suor são melhores para o clima quente.  Outra preocupação é com o risco de desidratação. Ao se exercitar em clima quente, o corpo aumenta a temperatura central, o que pode trazer o risco de exaustão e insolação.

Os sinais de exaustão pelo calor incluem: sudorese intensa, cãibras musculares, fadiga, fraqueza, tontura, dor de cabeça, náusea ou vômito, urina escura e pele fresca e úmida.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/fisiologia-explica-disposicao-para-exercicios/
Desenvolvido por CIJUN