Jundiaí

Gás já começa a faltar em Jundiaí


FEIRA INTERNACIONAL DE LOGISTICA BRASIL LOG MARCELO CERESER
Crédito: Reprodução/Internet
O governador João Doria anunciou que o Estado de São Paulo vai apertar o cerco contra preços abusivos do botijão de gás. A medida visa proteger os consumidores, já que a falta de gás é uma realidade na Grande São Paulo e também em Jundiaí. “O preço do botijão de gás, no limite, é de R$ 70. Não é nem R$ 71, nem R$ 72, nem R$ 80. O Procon São Paulo está autorizado a agir, de acordo com a lei, para proteger o interesse público”, disse Doria. Pelo município, algumas revendas já apresentam a falta do produto em estoque e com preços acima do habitual. A reportagem do Jornal de Jundiaí fez uma pesquisa em revendedores de gás da cidade: a maioria estava com falta do produto. Em uma revenda no Parque Eloy Chaves, o estoque de botijões já estava abaixo de 10 unidades, porém o serviço de entrega foi suspenso. Para retirar o botijão no local, o consumidor precisa desembolsar R$ 78. Numa outra revenda do Parque Centenário, os botijões também só estão disponíveis para retirada no local e o preço é de R$ 75. Já no bairro do Retiro, o preço, mesmo acima do permitido, está um pouco mais módico, são R$ 73 para retirar o gás pagando em dinheiro. Se o cliente pagar no débito o preço sobe R$ 2. Para o consumidor esta mudança já está sendo sentida. A analista de contratos Cynthia Cervini utiliza gás de botijão em casa e conta que não precisa trocá-lo sempre, mas na maioria das vezes percebe o aumento, diferente do tabelado pelo governo. “Pago sempre mais caro pelo botijão. O preço de R$ 70, limitado pelo governo, não condiz com a realidade. Acredito que o consumo aumentará em grande parte das famílias porque confinadas elas se alimentam mais.” O Sindigás esclarece que o preço do botijão de gás é livre, regulado pelo mercado, sem que haja estabelecimento de valores máximos ou mínimos.

Notícias relevantes: