Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Grendacc: 23 anos de luta contra o câncer infantil

GUSTAVO AMORIM | 18/07/2018 | 11:54

Ana Raquel Merighi tinha 15 anos quando descobriu uma doença rara: o linfoma de Hodking. Jundiaiense, ela fazia tratamento em São Paulo e já tinha ouvido falar de um grupo de apoio ao tratamento do câncer em Jundiaí, mas não sabia muito sobre o novo local. “À época, em 1998, o Grendacc era uma pequena instituição começando a sonhar que os deslocamentos para tratamento em São Paulo ou Campinas não fossem mais necessários aos nascidos na Terra da Uva”, conta a fundadora e diretora-presidente Vercí Bútalo.

“Eu passava muito mal durante as sessões de quimioterapia, e tinha uma voluntária do Grendacc que me levava sorvete para aliviar a dor”, lembra Ana Raquel, hoje com 35 anos e mãe da Cecília, de 3. Ela fez o tratamento na instituição durante um ano até que a grande notícia chegou: estava curada. A jornalista ainda foi acompanhada por outros cinco anos. “Os voluntários sempre ficavam ali, ajudavam a gente. Foi fundamental para mim”, conta. Vinte anos depois, Renata Nayara Paixão, de 12 anos, vive uma situação parecida com a de Raquel. Ela foi diagnosticada com leucemia há um ano e dois meses e faz tratamento no Grendacc desde então. Sua mãe Ednalva conta que foi um baque quando recebeu a notícia. “Me deixou sem chão. Ela só tinha umas manchas roxas na perna, sabe”, lembra.

BAZAR PERMANENTE DO GRENDACC PRECISA DE DOAÇÕES; SAIBA COMO FAZER

AINDA SEM RECEBER VERBA FEDERAL, GRENDACC CONSEGUE REDUZIR DÍVIDAS

GRENDACC INICIA CONSULTAS PEDIÁTRICAS A PREÇOS ACESSÍVEIS

Entretanto, a chegada ao Grendacc logo no dia do diagnóstico ajudou muito no tratamento. “Me senti acolhida. Tanto eu como ela temos a segurança que todos os funcionários e voluntários passam”, afirma. Apesar de estar ali para um tratamento, a jovem diz que se sente bem no Grendacc. “Eu gosto muito de ficar aqui. Posso desenhar bastante”, diz a jovem, que também confessa gostar muito de mexer no celular.

PREOCUPAÇÃO
Ao chegar aos 23 anos de fundação, Vercí Bútalo se sente orgulhosa e se emociona quando lembra de todos os pacientes que já se trataram com o auxílio da instituição. Hoje, entretanto, a sua maior preocupação continua sendo a financeira. A dívida atualmente é de R$ 3,6 milhões. “Nós ainda estamos precisando fazer empréstimos para conseguir fechar as contas. Estamos esperando o dinheiro das verbas públicas. A emenda parlamentar estadual, por exemplo, ainda não chegou”, lamenta.

Para marcar os 23 anos do Grendacc, será realizado nesta quarta-feira (18), às 9h, um ato religioso no salão de ventos da instituição. Além disso, o Grendacc também vai buscar mais verbas para ajudar na manutenção do hospital. Na noite de sábado (21), o Raimundos e a Orquestra Rock fazem um show em conjunto no Clube Jundiaiense. Os ingressos já estão sendo vendidos pela internet através do site Guichê Web  e no próprio Grendacc. LEIA MAIS AQUI. As entradas são vendidas com preços entre R$ 20 e R$ 40. Os portões para o show abrirão às 21h30 e haverá show de abertura com a Banda Moskkana. A renda será revertida para o Hospital da Criança do Grendacc. Já no dia 5 de agosto, será realizada uma feijoada em prol da instituição. Os ingressos estão sendo vendidos no bazar permanente do órgão.

Foto: Gustavo Amorim

Foto: Gustavo Amorim


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/grendacc-23-anos-de-luta-contra-o-cancer-infantil/
Desenvolvido por CIJUN