Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Indústria se recupera e cresce 11% em maio

Da Redação | 06/07/2020 | 19:26

A retomada da atividade econômica após a paralisação provocada pela pandemia do novo coronavírus fez o faturamento da indústria crescer 11,4% em maio na comparação com abril. O crescimento consta da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada ontem (6) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Este foi o primeiro crescimento em dois meses.

A alta foi, porém, insuficiente para compensar a queda no faturamento em março e em abril, quando a maior parte das fábricas interrompeu as atividades. Mesmo com a recuperação no mês passado, o faturamento real (corrigido pela inflação) está 18,2% abaixo do registrado em fevereiro e 17,7% do observado em maio de 2019.

Dois indicadores apresentaram crescimento em relação a abril. As horas trabalhadas na produção cresceram 6,6% em maio, e a utilização da capacidade instalada subiu de 67% para 69,6% na série dessazonalizada (que exclui o efeito de feriados). Apesar da reação, as horas trabalhadas estão 18,4% inferiores às de maio de 2019, e a utilização da capacidade instalada está 8,5 pontos percentuais abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado.

Em nota, a CNI informou que o crescimento nos indicadores veio depois de dois meses de fortes quedas. Para a entidade, o resultado de maio indica que a pior fase da crise econômica decorrente da pandemia de covid-19 ficou para trás.

A recuperação da atividade, no entanto, não chegou ao mercado de trabalho. O nível de emprego recuou 0,8% em maio na comparação com abril, registrando o quarto mês seguido de encolhimento. A queda, no entanto, foi menor que no mês anterior. O indicador de emprego está 15,4% inferior ao de maio do ano passado. A massa salarial e o rendimento médio reais (corrigidos pela inflação) pagos aos trabalhadores da indústria tiveram retração pelo segundo mês consecutivo. A massa salarial caiu 8,1%, enquanto o rendimento médio encolheu 6,5% em relação a abril.

VENDAS

O país registrou R$ 23,9 bilhões de vendas com notas fiscais eletrônicas em junho, um crescimento de 15,6% na comparação com maio e de 10,3% na comparação com um ano antes. Os dados, monitorados pela Receita Federal, apontam para uma melhora da economia após os efeitos causados pela pandemia do coronavírus.

Esse é o primeiro mês neste ano em que o indicador mostra aumento na comparação com 2019 e, segundo o Fisco, tanto em quantidades como em valores há tendência crescente em todas as regiões após as quedas de vendas em abril e em maio.


Leia mais sobre | | |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/industria-se-recupera-e-cresce-11-em-maio/
Desenvolvido por CIJUN