Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Inflamações e infecções aumentam com o frio

COLABORAÇÃO DE GRAZIELLY COELHO | 28/05/2019 | 05:00

Rinite, amidalite, sinusite, gripes e resfriados são as chamadas doenças do inverno, muito comuns nessa época do ano. Com o ar seco e as temperaturas mais baixas, o sistema respiratório fica mais sensível a ações de vírus, bactérias e poluentes que podem afetar a saúde. Além disso, no inverno é comum se manter dentro de casa, e o maior contato com ambientes de baixa circulação de ar podem trazer complicações para o sistema imunológico.

A estudante de 21 anos, Lairrana Coracini, conta que convive com a rinite alérgica desde a infância, mas que nessa época do ano o quadro piora. “Quando o ar está muito seco ela piora. Espirro com muita frequência e a tosse aumenta. Me incomoda bastante quando ataca”.

Segundo Viviane Pandini, 33, otorrinolaringologista pediátrica e professora da Faculdade de Medicina de Jundiaí, o principal motivo para a manifestação dessas doenças é a exposição a aglomerações e ambientes fechados. “As pessoas tendem a ficar em lugares mais fechados, aglomerados e com as janelas fechadas, favorecendo a disseminação de vírus e bactérias nessa época do ano”, explica a especialista.

Além disso, Viviane explica que o organismo também encontra mais dificuldade para reagir durante o inverno. “Nós temos, dentro da mucosa do nariz, pequenos cílios que fazem a função de filtrar esses micro-organismo que entram pela mucosa respiratória e o frio inibe essa atividade. Nesse caso os vírus e as bactérias têm mais facilidade para penetrar no organismo”.

De acordo com a especialista, a melhor forma de se prevenir contra essas infecções e inflamações é, além de evitar locais com pouca circulação de ar e aglomerados, cuidar da alimentação e da imunidade. Viviane também faz um alerta para a importância de se vacinar contra a gripe.

“Para prevenir essas infecções, deve-se fazer a higienização nasal, lavar as mãos, beber bastante água, tomar a vacina da gripe e fazer a ingestão de alimentos ricos em vitamina C. Além da laranja, do limão e da acerola, que são os mais comuns, alguns outros como salsinha, hortaliças, kiwi e morango são alimentos ricos em vitamina C, que melhoram a imunidade”.

Tratamento
A prevenção e o tratamento adequado, seguindo as orientações médicas, é importante para evitar que haja complicações mais graves, como o surgimento da sinusite. “A sinusite vem, geralmente, cinco ou sete dias após gripe ou resfriado que não teve resolução. A secreção nasal começa a ficar mais espessa, começa a surgir febre e então se instala um caso de sinusite aguda”, explica a especialista.

Viviane ressalta que idosos, grávidas e bebês são os mais sensíveis a sofrerem com as doenças ocasionadas nesta época do ano. “Idosos, mulheres grávidas e crianças geralmente são alvos mais fáceis devido à imunidade. Por isso são os principais alvos na campanha de vacinação da gripe. Todos devem tomar, mas há alguns grupos que tem mais predisposição”.

Para o tratamento eficaz, a especialista atenta para o acompanhando clínico e individualizado. “O tratamento depende do quadro clínico de cada paciente, mas em quase todos é indicado lavagem e higienização nasal. Depender do quadro clínico a necessidade de anti-inflamatório, spray nasal ou, em alguns casos de sinusite e amidalite, o tratamento com antibiótico”.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/inflamacoes-e-infeccoes-aumentam-com-o-frio/
Desenvolvido por CIJUN