Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Inovação tecnológica é desafio para Jundiaí do futuro

ARIADNE GATTOLINI | 14/12/2018 | 05:00

Apostar em inovação tecnológica não é uma mera previsão futurista. Jundiaí segue a tendência das principais cidades do mundo, que mudaram a base das suas economias da indústria para o serviço, tendo o setor de tecnologia um papel preponderante neste processo. Jundiaí representa 0,5% da economia brasileira e 2,0% do PIB do Estado de São Paulo, a maior e mais desenvolvida economia do país. A exemplo do que acontece com a formação do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, o município desponta como uma das principais economias da região e vê a geração de valor agregado (receita) migrar gradativamente da indústria para a prestação de serviços, setor responsável por 72% da economia local e 42% do total dos empregos formais.

Diante deste cenário, o planejamento estratégico municipal está estruturado em dois eixos importantes para alavancar este processo de desenvolvimento: a educação, com ações para aumentar a qualidade do ensino oferecido e formar uma geração com capacidade de competir no mundo globalizado; e a inovação, com ações para atrair startups e empresas do setor de ciência e tecnologia.

O gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, afirma que Jundiaí tem um enorme potencial para atrair startups, tanto pela localização estratégica como pela diversidade de sua economia, que é forte e competitiva. “As startups nascem pequenas, mas, quando são alavancadas, agregam imenso valor na economia e criam novas oportunidades na cadeia produtiva e empregos de qualidade”. Embora já presentes na cidade, a intenção é que o ambiente inovador seja ampliado, a partir de ações da prefeitura.

O município já abriga atualmente inúmeras empresas, algumas líderes mundiais de mercado, do ramo de comércio atacadista de informática e de fabricação de aparelhos telefônicos e de comunicação, além de peças de acessórios, o que desperta o interesse dessa economia moderna, dinâmica e criativa representada pelas startups.

Educação

Para Parimoschi, a decisão do governo municipal de investir fortemente na educação básica é fundamental para tornar este plano realidade. “Quando lançamos o programa Escola Inovadora, estamos nos comprometendo com investimentos contínuos em educação de qualidade. Nossas crianças, desde 4 e 5 anos já tem o ensino bilíngue, o que é um fator competitivo importante para mudar a realidade do país. Além disso, temos o ensino do empreendedorismo que traz para o processo de formação uma base sólida para as exigências dessa nova economia. E, recentemente, o prefeito entregou um FabLab (espaço maker com equipamentos de alta tecnologia para criação e desenvolvimento de projetos) para a rede municipal de ensino.

Jundiaí é a primeira cidade do interior do Brasil a implantar um equipamento desse tipo, que está conectado com pelos menos 30 países, para que nossos alunos possam trocar experiências em rede com alunos do mundo todo. Essa formação robusta fará diferença para essa geração que está vindo. Além disso, estamos trabalhando na elaboração de uma política de inovação para o município, que deve ser apresentada no início do próximo ano.”

A curto prazo, o plano de governo prevê ações para atrair investimentos produtivos no setor de tecnologia e ciências da vida, com alto potencial de criação de novos empregos e geração de renda para os trabalhadores, com especial atenção para o jovem que está em busca do primeiro emprego. A longo prazo, há um processo de planejamento para a cidade, para 2030 e 2050. Jundiaí terá um plano para embasar o seu desenvolvimento nas próximas décadas, que passa pela criação de um ambiente propício à inovação.

“E faremos isto com parcerias estratégicas com as instituições de ensino universitário, escolas técnicas, além das entidades e empresas que investem em tecnologia de ponta, como a Cijun, por exemplo, além da participação da sociedade organizada. Assim como o FabLab instalado no Complexo Argos, devemos implantar espaços de coworking para startups nos nossos equipamentos públicos, para aproveitar a infraestrutura de energia e internet já existentes, afirma Parimoschi.”
Em relação ao emprego em transição, o gestor afirma que a cidade precisa se preparar para este momento. “Parte dos empregos formais tradicionais vai ser extinto, mas novas ocupações irão preencher esses espaços, assim como novas formas de trabalho irão aparecer. É para isso que estamos preparando a nossa cidade desde já, pois o futuro está no momento presente, em Jundiaí.”

complexo viário jundiaí


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/inovacao-tecnologica-e-desafio-para-jundiai-do-futuro/
Desenvolvido por CIJUN