Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Invasão Digital: Sequestro de dados paralisa e até mata empresas

Publieditorial | 04/08/2019 | 07:00

Imagine chegar ao trabalho pela manhã, ligar o computador, acessar os documentos, mas não conseguir lê-los. Tentar abrir o sistema e não funcionar. Perceber que os colegas de trabalho estão com o mesmo problema e concluir ‘fui hackeado’. “Infelizmente, essa cena é muito corriqueira. A perda de dados empresariais cresceu 87% em 2017. Só nos últimos dez dias, fui chamado por duas empresas que tiveram seus dados sequestrados. Uma inclusive estava pagando R$ 60 mil em bitcoins pelo resgate”, lamenta Fernando Silva, diretor de tecnologia da Fascon, empresa especializada em segurança digital.

Entre os clientes da empresa, 90% vieram porque já sofreram alguma invasão. “Tenho um caso de um frigorífico que foi atacado três vezes e então nos contratou. Não importa o tamanho da empresa, se você possui computador está vulnerável e precisa proteger seus dados contra sequestros”, alertao diretor.

Ter um prestador de serviço em segurança digital também é essencial. “A área de TI (tecnologia da informação) é muito ampla e nem todos os profissionais são especialistas. Muitos empresários afirmam que estão seguros pelo simples fato de ter um ‘menino do TI’, o qual sem investimento não impedirá sozinho um sequestro de dados. Indico que no menor sinal de dúvida sobre o nível de proteção a empresa faça um mapeamento do ambiente computacional e não espere ser invadido para fazer as melhorias”, destaca.

Para o professor universitário e engenheiro da computação da Fascon, Alessandro Silva Ferreira, o mais indicado para a prevenção de ataques digitais é o investimento em Firewall, um bloqueador, e backup na nuvem. “Muitas empresas apenas compram o sistema de proteção, mas se esquecem de que o equipamento precisa de atualização e monitoramento constantes.Por exemplo, investir em um sistema de câmeras, mas ninguém acompanhar as imagens não é estar protegido”, compara o especialista.

SEGURANÇA COMO DIFERENCIAL

Com sede em Jundiaí e São Paulo, a Leader Contabilidade investe em segurança dos dados e aproveita o recurso como diferencial. “Nós lidamos com informações sigilosas de centenas de clientes e qualquer vacilo vai gerar prejuízos não só para nós, mas para eles também. Destacamos em nossa apresentação que valorizamos a proteção de dados e que investimos em segurança, desse modo os novos clientes se sentem seguros durante o processo de contratação”, conta o empresário Renan KayeStaliano Dutra.

Segundo Renan, no início da implantação dos protocolos de segurança, com Firewall e backups na nuvem, a rotina de trabalho teve de se adaptar. “É comum ocorrerem algumas travas no dia a dia dos colaboradores, pois acessos restritivos precisam ser definidos. É muito importante que a equipe esteja envolvida nas implantações para que entendam que essa nova política trará benefícios, pois não existindo segurança qualquer invasão poderá comprometer meses de trabalho e dedicação”, relata.

 

 

 

 

 


Leia mais sobre | | | |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/invasao-digital-sequestro-de-dados-paralisa-e-ate-mata-empresas/
Desenvolvido por CIJUN