Jundiaí

Investidores apostam em pontos comerciais para sair da crise

T_IMG-20200804-WA0031 (1)_Easy-Resize.com
Crédito: Reprodução/Internet
Mesmo diante da crise econômica provocada pela pandemia, há pessoas que estão conseguindo empreender alugando um espaço comercial tradicional para iniciar um novo investimento. Com um impulso de coragem, os novos microempreendedores de Jundiaí aproveitam a oportunidade para construir algo sólido e colher os frutos deste investimento. Alexander Vinícius de Andrade, de 22 anos, é um destes novos microempreendedores. Ele atuava como barman antes de ser demitido por conta da pandemia, mas junto com a namorada Lorena Cavalheiro Aguirre Silva, de 21 anos, operadora de caixa, resolveu abrir algo. Eles já tinham a ideia de investirem em um negócio próprio e assim que souberam que uma conhecida fechou seu comércio e passou o ponto comercial adiante, resolveram alugar o espaço e abriram um bar. “Eu e a Lorena iríamos esperar a pandemia passar para tentarmos investir em um negócio nosso, mas diante dessa oportunidade, decidimos arriscar. O ponto comercial tem uma ótima localização, então juntamos as nossas economias para investir. A Lorena pediu a conta do serviço e estamos tocando o bar como sócios”, explica Andrade. O baixo valor do aluguel do imóvel comercial, localizado no Jardim Santa Rita, foi o estopim para que o primeiro passo acontecesse. “Com essa oportunidade, abrimos um negócio maior do que esperávamos. No momento estamos atendendo apenas com a retirada das bebidas no local, já que ainda não podemos abrir para o público, mas futuramente queremos incluir porções e lanches no cardápio. Nosso bar será também uma lanchonete. É um investimento que valeu a pena”, diz Andrade. Apesar das adversidades que a pandemia trouxe para muitos empreendimentos, Andrade reforça que o foco deles está no investimento. “Nós apostamos no planejamento, pois quando pudermos abrir, as pessoas estarão ansiosas para frequentar esses locais e apostamos nisso também. É um momento de coragem, um bom investimento e uma previsão futura”, reforça. Rafael Nascimento de Almeida, de 25 anos, e seus amigos Matheus Vasconcellos Kneubuhl, de 26 anos, e Gabriele Gandia, de 21 anos, que agora são sócios, também viram em meio a crise uma oportunidade de se tornarem microempreendedores. A ideia de abrir um negócio juntos, já era antiga, mas a facilidade e a oportunidade bateu à porta deles, através de um familiar de Matheus que estava alugando um ponto comercial no bairro Vila Arens, em Jundiaí. Almeida conta que através da renda que ele e os amigos tinham, obtida por meio de alguns serviços e bicos que vinham realizando, foi possível abrir o restaurante, inaugurado recentemente. “Nós alugamos o espaço, por um preço ameno, de certo é um reflexo da pandemia e, no momento estamos trabalhando com a entrega de marmitas, pelo delivery e ifood, já que a refeição no local não é possível. Daqui duas semanas, no mesmo espaço, vamos inaugurar a nossa hamburgueria e pretendemos trabalhar com um horário diferenciado, atendendo até a madrugada, apostando no delivery, já que nesse momento muitas pessoas estão em casa com os celulares na mão. Vamos usar a tecnologia a nosso favor, para empreender em meio a crise e entregar nossos produtos”, ressalta. Investir em um comércio e se arriscar em meio à pandemia, foi uma ato de coragem para ele e para os sócios. A ideia é aproveitar o momento para empreender e colher os bons resultados com o tempo. “Nós unimos esforços para tornar o sonho possível. Não foi fácil, mas decidimos apostar no investimento. Agora aproveitar o momento em que estamos vivendo para expandir nossos produtos e aos poucos nos solidificarmos no mercado”, diz Almeida.

Notícias relevantes: