Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Jd. Novo Horizonte convive com 147 casos e aglomeração

KÁTIA APPOLINÁRIO | 18/06/2020 | 05:00

Grupos reunidos em calçadas, bares de portas abertas e poucos rostos protegidos por máscaras. Esse é o atual cenário pelas ruas do Jardim Novo Horizonte, localizado no Vetor Oeste de Jundiaí. Até a tarde desta terça-feira (17), o bairro registrava 147 casos da doença, perdendo o topo do ranking apenas para o Jardim do Lago, que registrava 148 casos.

A imprudência dos moradores também reflete nas estatísticas da Guarda Municipal. De acordo com o órgão, do início de abril até junho foram registradas 329 denúncias de aglomeração de pessoas em Jundiaí, sendo 75 só no bairro que perde apenas para as ocorrências no Jardim São Camilo e Jardim Fepasa.

Enquanto alguns brincam com a sorte e contribuem com a disseminação do vírus, outros moradores se mostram apreensivos em relação à doença. Esse é o caso da auxiliar de limpeza Josineide Mariane Dantas, de 42 anos, que é moradora do bairro há seis anos. “Tenho saído de casa só para trabalhar e para comprar o mínimo necessário para minha família.Estamos com medo e sabemos da importância de tomar todos os cuidados diariamente”, afirma. Incentivada pela mãe, a pequena Alana Mariane Dantas, de 7 anos, já entende a importância de se cuidar. “Até usamos máscaras combinando”, ressalta.

Quem está preocupado com a doença é o funcionário de uma loja de materiais de construção, Brendo Henrique Rodrigues, de 21 anos. “Meu sogro teve coronavírus e o avô da minha namorada faleceu na última semana após não resistir à doença. Tenho visto casos de perto e isso me deixa ainda mais preocupado. Por isso redobrei os cuidados”, compartilha.

No entanto, o jovem reconhece que nem todos pensam como ele. “Aqui na rua mesmo eu vejo inúmeras pessoas que não estão seguindo nenhuma das regras mais simples, como utilizar máscaras. Assim elas acabam colocando não só suas vidas como também a de outras pessoas em risco”, lamenta. Na tentativa de reduzir o seu risco de contágio, Brendo tem evitado utilizar o transporte público urbano. “Desde o final de março parei de pegar ônibus e agora todos os dias estou indo trabalhar de bicicleta”, conta.

O barbeiro Franklin de Oliveira, de 22 anos, sente falta do contato com os amigos. “Estou mantendo distância dos meus amigos. Sequer estamos nos cumprimentando e quando nos vemos mantemos ao menos dois metros de distância um do outro. Para nós essa é uma situação atípica, pois somos todos muitos próximos”, ressalta.Por hora, o jovem não está trabalhando, mas ainda assim teme a doença tanto quanto os trabalhadores ativos. “É claro que o medo existe, principalmente sabendo que é uma doença invisível e que não podemos controlar”, alerta.

Esse medo o comerciante Silvio Monteiro, de 48 anos, conhece de perto. Ele é proprietário de uma mercadinho que, por ser considerado um serviço essencial, não parou mesmo durante a quarentena. “Fico preocupado não só por mim, como por toda a minha família que também acaba sendo exposta”, reitera. E completa: ”Tomamos todos os cuidados, mas o medo está sempre presente. Esperamos que isso tudo passe logo”.

AÇÕES MUNICIPAIS
De acordo com o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), assim como todas as regiões da cidade, o Novo Horizonte tem recebido ações com foco na prevenção e na contenção ao avanço do Coronavírus, como campanhas de conscientização e a testagem nos bairros.

Ainda são realizadas ações de fiscalização numa parceria entre Vigilância Sanitária, Fiscalização do Comércio e Guarda Municipal com o objetivo de verificar se os estabelecimentos cumprem as regras sanitárias determinadas para o funcionamento neste período, bem como limitação de quantidade de pessoas no estabelecimento entre outras medidas. Essas atividades são realizadas desde a implementação do mapeamento de calor, disponível no site da Prefeitura de Jundiaí, no mês de maio, conforme a avaliação e indicação do CEC. Todas as medidas, no entanto, só repercutem em redução nas estatísticas com a adesão da população ao uso das máscaras, intensificação da higiene, redução de aglomerações, isolamento e distanciamento social atendidos.

As denúncias de aglomerações e festas clandestinas podem ser realizadas através do telefone de emergência da Guarda Municipal (153), pelo telefone 4492-9060, através do Disque 156 ou mesmo pelo aplicativo oficial da Prefeitura de Jundiaí.

 

 


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/jd-novo-horizonte-convive-com-147-casos-e-aglomeracao/
Desenvolvido por CIJUN