Jundiaí

Retomada gradual do comércio começa na segunda (20)


O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, após anunciar via live a quinta morte por coronavírus em Jundiaí afirmou que a cidade passará a ter distanciamento controlado. Isso garante a abertura de alguns comércios a partir da próxima segunda-feira (20), mas com horários preestabelecidos e medidas de higiene e de proteção adotadas. A estabilização no contágio do novo coronavírus e a diminuição da curva de ocupação dos leitos hospitalares foram determinantes para a decisão. De acordo com o prefeito, este é um modelo de transição e não implica na liberação total da rotina na cidade. “Este é um regramento claro que tem como objetivo o distanciamento controlado. Assim permitiremos que os setores se acostumem aos poucos a essa nova realidade. Não é a volta da normalidade”, ressalta. No pronunciamento, o prefeito reforçou ainda a importância do uso massivo de máscaras e álcool gel nessa nova fase do enfrentamento ao coronavírus, principalmente por trabalhadores que atuam em serviços essenciais. O comitê alega que a Vigilância Sanitária fará uma fiscalização intensa para observar a limpeza e ventilação dos estabelecimentos abertos ao público, bem como se os mesmos estão utilizando os equipamentos de proteção individual (EPI’s). É o que explica o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera. “Os responsáveis pelos estabelecimentos terão de cumprir as regras, pois serão fiscalizados pela administração e pelos próprios clientes, já que a Prefeitura de Jundiaí disponibiliza canais para a denúncia de irregularidades, pelo 156 e o próprio APP Jundiaí”, pontua. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí (Sincomercio) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Edison Maltoni, a medida dará fôlego aos pequenos comerciantes. “Aos poucos estamos conseguindo abrir novos segmentos e a prova está aí já que algumas solicitações das entidades foram conquistadas. Ainda não é o suficiente, mas existem boas possibilidades”, afirma. De acordo com o novo decreto, poderão funcionar as lojas de alimentos, clínicas veterinárias e estabelecimentos de vendas de produtos animais, serviços de assistência à saúde em geral e afins, oficinas mecânicas, estacionamentos de veículos, comércio e serviços de limpeza residencial, comercial ou industrial, profissionais liberais e salões de cabeleireiro, barbeiros e afins e estética. A lista também contempla hipermercados, supermercados, mercados, padarias, lojas de conveniências e as lojas de alimentos em geral, postos de combustíveis, produtos agropecuários e produtos perecíveis, comércio de rua em geral (restritos para funcionamento delivery ou vendas on-line), lojas e revendas de veículos e motocicletas, novos e usados lojas de material de construção e correlatos, com horários reduzidos e medidas preventivas. Para mais informações acesse o decreto na íntegra clicando aqui.

Notícias relevantes: