Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Jundiaí tem 14 casos de violência contra a mulher em dois dias

COLABORAÇÃO DE MARIANA CHECONI | 26/02/2019 | 10:04

No último final de semana, 14 casos de violência doméstica foram registrados na Polícia Civil de Jundiaí. Entre os Boletins de Ocorrência se destacam lesões corporais, ameaças à integridade e à vida das vítimas e ainda invasão de privacidade.
As ocorrências aconteceram nos bairros Santa Gertrudes, Tarumã, Tulipas, Alvorada, Anhangabaú, Torres de São José, Bonfiglioli, Jardim Novo Horizonte, Jardim do Lago e Jardim Pacaembu, a maioria entre a meia-noite e as duas da manhã, no sábado e no domingo.
Segundo os B.O.s, a maioria das agressões se concretizou por conta de discussões que começaram devido à alteração de humor dos autores por causa de ciúme, não aceitação do término do relacionamento, embriaguez e uso de drogas.

Casos mais graves
Às 23h do sábado (23), no bairro Santa Gertrudes, a vítima foi agredida pelo namorado com chutes, socos e tapas, além de ser esganada e levar cuspidas no rosto. Ela está grávida e contou à polícia que não é a primeira vez que é agredida e é constantemente ameaçada de morte. O autor não foi preso.
Na madrugada do mesmo dia, outra vítima teve sua vida ameaçada. Ela estava em um bar no Anhangabaú com suas amigas quando seu ex-namorado chegou ao local ameaçando-a e em seguida a enforcou. A moça desmaiou e, mesmo nessas condições, os seguranças do local não fizeram nada para socorrê-la. Ao acordar com seu agressor ainda ao seu lado, ela tentou fugir, mas ele a alcançou agredindo-a novamente com socos, tapas e mordidas no rosto. A situação só parou quando um casal que passava no local abordou o autor e pediu para que ele parasse. A moça foi levada a delegacia e o autor não foi preso.
No domingo (24), às 6h, a vítima, uma moradora do Jardim Tulipas, teve lesões na parte interna da boca, orelha e braço em decorrência de uma agressão de seu marido motivada por ciúme. O acusado confessou a agressão, foi conduzido ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista e preso em flagrante.
A Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006, tem como objetivo proteger a mulher contra qualquer agressão física, psicológica, verbal e emocional. Qualquer pessoa que passe ou presencie situações como essas pode entrar em contato pelo disque-denúncia (180), que é anônimo ou comparecer à delegacia da mulher. Só em janeiro, 106 mulheres foram vítimas de feminicídio no Brasil.

VIOLENCIA SEXUALABUSO SEXUALESTUPRO


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/jundiai-tem-14-casos-de-violencia-contra-a-mulher-em-dois-dias/
Desenvolvido por CIJUN