Jundiaí

Junho concentra 27% dos veículos comercializados

O gerente de vendas Rafael Teixeira comemora a retomada das vendas
Crédito: Reprodução/Internet
Após um longo período de recessão, as vendas de automóveis começam a apresentar os primeiros sinais de progresso. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), em Jundiaí, só em junho 668 automóveis foram vendidos, o que corresponde a 27% do total de carros comercializados desde o início do ano. Entre janeiro e junho, 2.473 unidades foram emplacadas: em nível nacional, o aumento foi de 132% de maio para junho. [caption id="attachment_97822" align="alignleft" width="300"] O gerente de vendas Rafael Teixeira comemora a retomada das vendas[/caption] De acordo com o gerente de vendas da Valec Renault, Rafael Teixeira, de 37 anos, no último mês o crescimento da demanda foi de 20%. "Esse aumento repentino surpreendeu nossas expectativas, principalmente levando em conta o cenário pandêmico. No entanto, para que o setor se recupere, acredito que ainda levará um bom tempo", alega, afirmando que se a demanda de consumo continuar no mesmo ritmo, a expectativa é que até dezembro haja um faturamento de 40% do total projetado para 2020. O gerente ressalta que, em parte, o crescimento das vendas está ligado à facilidade de oferta por parte das montadoras. "Por hora, existe a possibilidade de começar a pagar o carro só no próximo ano ou mesmo começar com parcelas pequenas, com valores de R$50 a R$100", compartilha. Ao lado das boas condições de pagamento, existe o anseio da população em relação aos riscos do transporte coletivo. “O carro próprio, além de proporcionar maior liberdade, nesse momento também oferece maior segurança. Isso porque em meio à pandemia, as pessoas têm evitado utilizar o transporte público ou mesmo carros de aplicativo”, reflete. Quem aproveitou a oportunidade para trocar o carro foi o construtor Wagner Pulga Fahl, de 61 anos, que há tempos já se planejava. "Ajudei meu filho Filipe nesse processo. Já tínhamos feito uma pesquisa de mercado e por isso sabíamos quanto seria gasto. Assim, demos nosso carro e completamos o valor", conta a dupla, feliz ao lado da nova aquisição. Para Fahl, a pandemia não deve ser um fator intimidante. "Devido à situação do país, o mercado está com muita oferta, além de preços sugestivos. Eu fiz um ótimo negócio porque consegui uma boa taxa de juros. Esse é o melhor momento para quem quer comprar um carro zero", pontua. Para o diretor da Tchoy Motors, Tchoy Storani, de 54 anos, as ferramentas digitais têm sido imprescindíveis para a prospecção de clientes. “Não tivemos efetivamente um aumento nas vendas, mas nosso contato com o cliente teve um aumento de 200 a 300% nos últimos meses”. alega, ressaltando a necessidade das empresas se adaptarem ao digital. A conexão com o digital foi essencial. “Ficamos conectados 24 horas por dia, portanto, não há melhor canal para se comunicar do que o WhatsApp e as redes sociais. O próprio cliente aderiu a essa realidade”, diz. [caption id="attachment_97820" align="aligncenter" width="800"] Tchoy Storani diz que as ferramentas digitais contribuem para a prospecção[/caption]

IMPACTOS DA CRISE

O presidente do Grupo Andreta, José Maurício Andreta Júnior, afirma que a crise e o longo período com as portas fechadas afetou não só as concessionárias, mas também as montadoras. “Nem todas as empresas conseguiram se recuperar, por esse motivo, estamos com falta de produtos, como alguns modelos da Hyundai e da Fiat. Isso acontece porque a produção das fábricas caiu bruscamente. Muitas estão com seus trabalhadores em greve inclusive”, reitera, alegando que, no primeiro semestre deste ano as vendas foram inferiores em relação a 2019, mas para este segundo semestre a expectativa é que se igualem ou superem o segundo semestre de 2019. Para aqueles que estão esperando a crise passar para comprar ou trocar de carro, essa talvez não seja a melhor opção. É o que afirma Júnior. “A tendência é que no próximo ano, os carros fiquem mais valorizados e com isto o preço suba”, diz. [caption id="attachment_97821" align="aligncenter" width="800"] José Maurício Andreta Junior acredita que a retomada será lenta e gradual[/caption]

Notícias relevantes: