Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Logística, indústria e varejo são a esperança de empregos

Guilherme Barros | 05/01/2020 | 05:00

O ano de 2020 começa animador para quem busca se recolocar no mercado de trabalho. Diante de um cenário de leve aumento nos índices de empregabilidade, há quem já comece janeiro em busca de dias mais produtivos. Logística, indústria e varejo são os carros-chefe em Jundiaí.

A informalidade foi a parceira do operador logístico Elias José dos Santos. Ele começa 2020 em busca de se recolocar no mercado formal. “Hoje as empresas buscam profissionais mais jovens, por isso a idade tem atrapalhado um pouco, mas o que não posso é perder a esperança. Tomara que arrume logo”, diz o profissional.

Apesar de novembro ter sido o melhor dos últimos nove anos com registros em carteira assinada – foram 99,2 mil empregos novos-, o país atravessa uma longa jornada para retomar as baixas taxas de desemprego. Hoje, o índice de desemprego é de 11,8%, com um total de 12,5 milhões de pessoas que fazem parte da População Economicamente Ativa (PEA) sem nenhum tipo de renda. O número de pessoas no mercado informal – quase 45 milhões de trabalhadores – , tem feito com que a economia do país caminhe a passos lentos. Mesmo assim, alguns setores, como a indústria, veem a chegada do ano novo com certa animação.

“No fim do ano passado, durante um jantar com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, todos saímos mais animados em relação a 2019”, diz o diretor-titular do Ciesp Jundiaí, Marcelo Cereser. “Toda crise, em que a gente começa a ver números negativos, o ano seguinte tende a ser de recuperação. Mas estamos saindo do pior dos cenários da nossa história recente e o terceiro trimestre de 2019 trará números que vão surpreender”, continua o empresário. A projeção do Banco Central para ao crescimento da economia em 2020 é de 2,17%, ante os 0,99% em 2019.

Capacitar é preciso
A gerente de recursos humanos de uma rede de agências de empregos na região central de Jundiaí, com mais de dez escritórios, Larissa Gonçalves, vê com animação o começo do ano, sobretudo para aqueles profissionais que já carregam um pouco de experiência. “A capacitação é sempre necessária para quem quer se colocar ou mesmo voltar para o mercado de trabalho. O que notamos é que em Jundiaí muitos esbarram na língua estrangeira. As vagas para cargos de liderança, diretoria, são sempre encontradas com maior dificuldade, justamente por causa disso. O inglês hoje é fundamental”, garante.

Para quem está começando a dar os primeiros passos na carreira, os setores de tecnologia são um dos caminhos do futuro dos empregos. “Hoje, quem arriscar no quesito de proteção de dados certamente terá êxito no futuro”, finaliza.


Leia mais sobre | | |
Guilherme Barros
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/logistica-industria-e-varejo-sao-a-esperanca-de-empregos/
Desenvolvido por CIJUN