Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Mães e filhos vivem o desafio e a ansiedade do início da fase escolar

VINICIUS SCARTON | 03/02/2019 | 07:00

Angústia, preocupação e ansiedade são alguns dos sentimentos vividos por muitas mães que pela primeira vez estarão distantes dos seus filhos, em virtude do início das aulas.
Elizabeth da Silva Galastri, de 40 anos, é mãe da pequena Olívia de 1 ano e 4 meses, que está matriculada na Emeb Paulo Gonçalves de Mello, no Jardim do Lago, em Jundiaí. Segundo ela, a filha ingressará na unidade no período da manhã, através do ensino G1 (direcionado para crianças que completam 2 anos até 31 de março de 2020). “Neste momento estou ansiosa e na expectativa de saber como será a adaptação da minha filha, mas ao mesmo tempo com total confiança que dará tudo certo”, comenta.
De acordo com Elizabeth, o fato de atuar como professora também ajuda nessas horas. “Afinal, agora o papel está sendo invertido e estou enxergando o lado contrário da situação. A escolha pela creche foi feita com total confiança, justamente por conhecer o trabalho da equipe e modelo de educação”, diz.
Já a assistente jurídica Juliana Pozzani Ferreira, de 42 anos, é mãe do pequeno Pedro, de 3 anos, que está matriculado na mesma unidade escolar no período da tarde, porém, no ensino G3 (direcionado para crianças que completam 4 anos até 31 de março de 2020). Ela conta que os dias que antecedem o início das aulas estão sendo marcados por muita ansiedade. “Embora tenha dois filhos mais velhos (um de 17 anos e outra de 5 anos), trazer o caçula está sendo um grande desafio em minha vida, mas tive a oportunidade de conhecer a escola e os funcionários e a confiança prevalece”, confirma.
Aline Tatiane Garcia, de 27 anos, que trabalha como técnica de atendente é mãe da pequena Marcela, de apenas 1 ano, que ingressará na mesma Emeb citada acima, no ensino G1, no período da manhã. Ela afirma que consegue assimilar de uma maneira mais fácil esse período de transição na vida da Marcela, tendo em vista que sua filha mais velha já passou por isso. “Mesmo com a angústia e a preocupação é importante entender essa etapa na vida da minha filha, visando o seu próprio desenvolvimento, aprendizado e convivência com outras crianças”, afirma.
A coordenadora pedagógica da Emeb Paulo Gonçalves de Mello, Sandra Maria de Souza Cury, explica que a unidade escolar contará neste ano letivo, com 90 novas adaptações. “Ou seja, são 90 famílias que estão vivendo essa fase de ansiedade e bastante expectativa para o início da vida escolar de suas crianças”, diz.
Sandra afirma que neste momento que antecede às aulas, diversas entrevistas estão sendo realizadas. “Estou atendendo os pais e responsáveis, ouvindo cada detalhe e características das crianças, tão importantes para o nosso trabalho no decorrer do ano”, confirma.
Além disso, neste mesmo período, a Emeb foi visitada pelas Agentes de Desenvolvimento Infantil, preparando os espaços para a recepção das crianças. “Além disso, fizemos alguns móbiles, um mural de fotos para as mães novas conhecerem o nosso trabalho, com imagens de crianças do ano passado e de algumas que seguirão conosco em 2019”, detalha.
Ciente deste momento importante, Sandra ressalta que se coloca no lugar das mães. “Afinal, também sou mãe, tenho dois filhos que passaram pela mesma situação e sei como o momento é difícil, pois a maior preciosidade de suas vidas estão sendo deixadas no período escolar com pessoas estranhas. Portanto, é importante que as mães demonstrem confiança e segurança para os seus filhos e, enquanto às aulas não começam, uma dica é passar em frente à escola e dizer que ali será um lugar de aprendizado, de brincadeiras e para fazer amizades, gerando um gosto por vir”, explica.
As aulas na Emeb Paulo Gonçalves de Mello, no Jardim do Lago, acontecem em dois períodos, das 7h30 às 12h30 e das 13h às 18h. De manhã, o ensino é dedicado ao berçário e no período da tarde aos grupos 1, 2 e 3. “E nesta unidade temos o Projeto Encontro de Família, que acontece em cada início de ano letivo e, em 2019, será no dia 11 de fevereiro, reunindo novos alunos, veteranos e suas famílias, participando de todas as atividades do dia, com seus pais e professores, contribuindo para o processo de integração e adaptação das crianças”, informa Sandra.
PSICÓLOGA
Sobre essa mudança na rotina de pais e filhos, através do início da fase escolar, a psicóloga clínica Gabrielle Marques destaca a importância dos responsáveis terem aceitação. “Seja por opção ou por necessidade, a decisão foi tomada, visando o melhor da criança dentro de cada realidade. Portanto não sinta culpa e nem recue, você está fazendo o seu melhor”, diz.
Além disso, a especialista ressalta que os pais devem ter paciência com firmeza. “Afinal, trata-se de um mundo totalmente novo para a criança. Portanto, demonstre acolhimento do sentimento expresso, mas não expresse “pena” e sim confiança de que ela conseguirá passar por esse momento e ela vai mesmo”, comenta.
Outra sugestão importante é manter parceria com a escola. “Ou seja, na medida do possível, conheça todos os envolvidos no dia a dia da criança. Busque e forneça todas as informações que julgar necessárias sobre a escola e sobre seu pequeno”, orienta.
Gabrielle afirma que os pais devem trabalhar, o quanto antes, a ideia de que os pequenos irão à escola e eles ficarão orgulhosos por isso. “Se possível, leve-o para conhecer as dependências, ou mesmo a rua, a fachada da escola e o envolva na compra e organização dos materiais”, explica.
A psicóloga detalha a importância da valorização da ideia de ir à escola e todos os benefícios naturais que a criança encontrará: muitos amigos, brincadeiras, aprendizado e o quanto a escola é linda e as pessoas são legais. “No entanto, não prometa o que não irá cumprir. Seja material ou presença. Confiança nos responsáveis é sempre importante. Se despeça com carinho e evite ao máximo se atrasar na hora de buscá-lo. Já no caso de bebês ou crianças que ainda tenham dificuldade, deixe com ele um objeto de apego ou que represente os responsáveis, como “garantia” de que voltará”, detalha.
PREFEITURA
De acordo com a Unidade de Gestão de Educação de Jundiaí (UGE), todas as unidades escolares seguem calendário único e as aulas das creches terão início no dia 11 de fevereiro. Em nota, a UGE informa que, para este ano, o total de matrículas no Sistema Municipal será de 7.429 crianças, incluindo-se as 4.026 vagas em Emebs e 3.403 vagas contratadas junto às escolas particulares. “A expectativa da UGE é de um ano letivo produtivo, com muito conhecimento, inovação, aprendizagem e interações para as crianças, que são pilares do programa Escola Inovadora”, encerra.

ansiedade-escolar


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/maes-e-filhos-vivem-o-desafio-e-a-ansiedade-do-inicio-da-fase-escolar/
Desenvolvido por CIJUN